17/09/2019

Na CNA, especialistas discutem estratégias para melhorar a cabotagem no país

Brasília (17/09/2019) - As alternativas para melhorar a eficiência logística do transporte de cabotagem de produtos agropecuários foram discutidas no 7º Fórum Caminhos da Safra, na terça (17), na sede da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil, em Brasília. Essa foi a primeira vez que o evento aconteceu na capital federal.

A cabotagem é a navegação entre portos de um mesmo país. O Brasil possui mais de 8.500 quilômetros de costa marítima, além das vias de navegação de interior.

Na abertura do evento, o vice-presidente da CNA, Mário Borba, que também é presidente da Comissão Nacional de Infraestrutura e Logística da entidade, destacou o empenho do governo no estímulo à cabotagem, que é uma das estratégias para alcançar melhores resultados para o desenvolvimento do Brasil.

o vice-presidente da CNA, Mário Borba
o vice-presidente da CNA, Mário Borba

“Temos presenciado boas notícias sobre infraestruturas públicas que estão sendo passadas para a iniciativa privada. Desde janeiro, foram dezenas de leilões de aeroportos, terminais portuários e rodovias. Agora, aguardamos o lançamento do programa de estímulo à cabotagem, conhecido como BR do Mar. Com ele será possível melhorar a matriz de transporte e reduzir significativamente os custos logísticos”, destacou Borba, que representou o presidente da CNA, João Martins, na cerimônia.

Borba reiterou que o programa “BR do Mar” prevê mudanças no sistema de afretamento de embarcações e no Adicional ao Frete da Marinha Mercante (AFRMM). 

“Essa medida promove maior integração entre os modos de transportes e ameniza a dependência que temos dos caminhões para escoar produtos agropecuários”, afirmou.

O consultor em logística e infraestrutura da CNA, Luiz Antônio Fayet, destacou os desafios a serem superados para que o Brasil alcance uma navegação forte e competitiva para transportar levar as mercadorias com custos eficientes.

o consultor em logística e infraestrutura da CNA, Luiz Antônio Fayet,
o consultor em logística e infraestrutura da CNA, Luiz Antônio Fayet,

“Diante da nossa imensa costa, não podemos ficar fora da área de domínio da nossa navegação. Atualmente, nós temos dificuldades de importar navios, as tarifas tributárias e os custos de operação são desafiadores. Nós precisamos que a legislação seja modernizada para reduzir os custos de fretes de cabotagem”, afirmou Fayet.

O estímulo à navegação de cabotagem, na visão do consultor, vai gerar impactos positivos para várias regiões brasileiras.

“Precisamos de um novo arranjo da navegação de cabotagem brasileira que possibilite a isonomia tributária com a navegação de longo curso, entre países. Isso vai permitir que os preços se tornem mais competitivos para abastecer o nosso próprio país, pois em alguns casos é mais barato enviar um produto do Brasil para a Ásia do que transportar o mesmo produto de um porto do Nordeste para o Sudeste”, destacou Fayet.

o coordenador do Departamento de Navegação e Hidrovias do Ministério da Infraestrutura, Cleber Martinez
o coordenador do Departamento de Navegação e Hidrovias do Ministério da Infraestrutura, Cleber Martinez

Durante o evento, o coordenador do Departamento de Navegação e Hidrovias do Ministério da Infraestrutura, Cleber Martinez, anunciou que está estudando medidas para facilitar a flexibilização da utilização das condições de afretamento, uma espécie de aluguel de embarcações, na tentativa de reduzir custos operacionais e de investimentos e tornar as operações de navegação doméstica compatível com as internacionais.

O especialista em logística da Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA), Paulo Renato, reforçou que o aumento das tarifas para o transporte de cabotagem, em torno de 12% ao ano, causa limitações para quem opta por este modal.

Marcus Voloch é o quarto da direita para a esquerda
Marcus Voloch é o quarto da direita para a esquerda

O diretor executivo da Aliança Navegação e Logística, Marcus Voloch, declarou que a empresa começou a trabalhar com navios que carregam 1.700 contêineres, considerados pequenos para os padrões internacionais, para conseguir operar em portos da região Norte, que estão acima do Paralelo 16° Sul.

O Fórum Caminhos da Safra é uma iniciativa da Revista Globo Rural e da Editora Globo. A sétima edição do evento marcou o encerramento da expedição de equipes de reportagens, que percorreram aproximadamente 10 mil quilômetros, para conferir as condições de infraestrutura e do escoamento das safras de soja, milho, café e frutas.

O Fórum Caminhos da Safra teve patrocínio da Scania e Corteva Agriscience e contou com o apoio do Sistema CNA/Senar e da Associação Brasileira do Agronegócio (Abag).

Você pode assistir ao Fórum Caminhos da Safra no link:


Assessoria de Comunicação CNA/SENAR
Fotos: Wenderson Araujo e Daniel Fagundes
Telefone: (61) 2109 1419
flickr.com/photos/canaldoprodutor

cnabrasil.org.br

twitter.com/SistemaCNA

facebook.com/SistemaCNA

instagram.com/SistemaCNA

facebook.com/SENARBrasil


Veja também