Café

A CNA trabalha para fortalecer a atividade do café, aumentar a rentabilidade do produtor, promover internacionalmente o agronegócio brasileiro e ampliar o acesso a mercados. Na estrutura da CNA, a Comissão Nacional de Café coordena as ações relacionadas à essa atividade, representando os produtores e promovendo articulações junto ao executivo, legislativo e demais órgãos relacionados ao setor. Além disso, o Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar) fomenta a capacitação e presta assistência técnica e gerencial na propriedade rural. Explore os temas relacionados à atividade do café e veja o que o Sistema CNA está fazendo pelo produtor rural.

A Comissão Nacional do Café é formada por representantes das Federações Estaduais de Agricultura e Pecuária e entidades civis ligadas ao setor. Possui como objetivo atuar no âmbito técnico, político e econômico do setor defendendo e representando os interesses do cafeicultor em fóruns, audiências e congressos no Brasil e no exterior. As reuniões ordinárias da comissão visam detectar, discutir e propor soluções e políticas públicas que favoreçam o setor cafeeiro.

A Comissão fornece pareceres técnicos e acompanha as informações sobre alternativas de crédito para o cafeicultor, bem como medidas para melhorar a competitividade do produtor na gestão de custos; além de promover ações de integração entre os demais setores do agronegócio no financiamento do Funcafé.

Comissão Nacional de Café

Relato das ações da Comissão

  • Acompanhamento da composição e variação dos custos de produção do café através do Projeto Campo Futuro;
  • Ações de defesa comercial;
  • Elaboração de propostas de políticas públicas para o setor;
  • Atuação junto ao legislativo em defesa de projetos que favoreçam o setor;
  • Elaboração do Programa de Garantia de Renda para o cafeicultor;
  • Estudos e Propostas para a viabilização da cafeicultura de montanha;
  • Promoção de ações de integração entre os demais setores do agronegócio no financiamento do Funcafé;
  • Acompanhamento de informações que facilitem o acesso ao crédito pelo cafeicultor;
  • Medidas para melhorar a competitividade do produtor na gestão de custos.

Resultados Alcançados

  • Levantamento dos custos de produção do café produzido em diferentes regiões do país;
  • Revisão do Preço Mínimo do café;
  • Viabilização do controle da broca-do-café em caráter emergencial;
  • Leilão de opções públicas de venda do café em período que o preço do produto esteve abaixo do preço mínimo;
  • Aprovação pelo MAPA da Proposta de Viabilização da Cafeicultura de Montanha;
  • Prorrogação de prazo de pagamentos de parcelas do crédito rural.

Membros

Representante Federação UF
Ademar Pereira FAESP SP
Antônio Fernando Gerra EMBRAPA CAFÉ -
Bento Broseghini FAEPA (PA) PA
Breno Pereira De Mesquita FAEMG MG
Carlos Alberto Leite Coutinho FAPEDF DF
Ciro Tadeu Alcantara FAEP PR
Ezequias Braz Neto FAPERON RO
Francisco Alberto de Castro FAEPA (PA) PA
Guilherme Salomão Vicentini FAESP SP
Hugo Valério De Abreu Siqueira FAERJ RJ
Ivo da Silva Bulhões FAPERON RO
Jefferson Lunardelli Cogo FAEAC AC
Jerônimo Giaccheta FAEMG MG
José Fava Neto FAEG GO
José Ferreira Pinto FAERJ RJ
José Silvano Bizi FAES ES
Julio Da Silva Rocha FAES ES
Lauro Jurgeaitis FAPEDF DF
Lucas Tadeu Ferreira EMBRAPA CAFÉ -
Maciel Aleomir da Silva CNA DF
Omar Cruz Rocha EMBRAPA CAFÉ -
Paulo Ruwer FAEB BA
Pedro Ferreira Arantes FAEG GO
Ricardo Covre FAEB BA
Walter Ferreira Lima FAEP PR

Participação em fóruns, Câmara Setorial ou Grupos de Trabalho

Participação em fóruns, Câmara Setorial ou Grupos de Trabalho

2019 – 1º semestre

Elaboração de Políticas de Garantia de Renda para o Café

A CNA atuou junto aos agentes financeiros para adequação das linhas de crédito para renegociação de dívidas. O ajuste permitiu a redução de taxas de juros proporcionalmente à redução do prazo necessário para pagamento.

Além disso, construiu em conjunto com o MAPA e demais instituições do setor a proposta do Prêmio Equalizador Pago ao Produtor (PEPRO) Invertido para o café. O objetivo é recuperar os preços do café no mercado, estimulando os produtores a estocarem a produção enquanto são remunerados por por isso por meio do prêmio.

Para formalizar legalmente a proposta é necessário alterar a legislação, para que um instrumento de PGPM seja operacionalizado com um valor de referência superior ao preço mínimo. O MAPA está trabalhando em conjunto com o Ministério da Economia (ME) na elaboração de uma medida provisória.

Transferência de Informações sobre Mercado Futuro e de Opções

Foi realizado pela CNA o treinamento dos multiplicadores dos principais estados produtores de café, que possuem grupos de ATeG da Bahia, Minas Gerais, Epírito Santo, Rondônia e Mato Grosso. Eles serão responsáveis por disseminarem as técnicas de gestão de risco de preço e introduzi-las no processo de gestão empregado na ATeG. A próxima etapa será buscar formas de difundir essas informações via SISATEG.

Ampliação dos recursos de custeio e estocagem do Funcafé

A CNA solicitou a ampliação dos recursos de custeio e estocagem do Funcafé para o plano agrícola 2019/2020. A solicitação foi atendida e houve o aumento de 18,2% e 5,4%, para as linhas de custeio e estocagem, respectivamente. A linha de custeio contará com o volume de R$1,3 bilhão e alinha de estocagem R$1,96 bilhão.

Posicionamento pela manutenção do registro do Glifosato

O Glifosato está em reavaliação toxicológica pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), a qual prevê a manutenção do ingrediente ativo no país, com novas medidas sanitárias, principalmente para o manejo do produto durante a sua aplicação e a sua dispersão.

A CNA participou da consulta pública da Agência, se posicionando favoravelmente à manutenção do registro. Além disso, elaborou um material técnico e o submeteu às Federações para subsidiá-las no sentido de que também participassem da consulta pública.

Pedido de priorização de defensivos agrícolas

Como forma de garantir a celeridade do processo de registros, a CNA participou da seleção e classificação de 74 defensivos agrícolas considerados prioritários ao setor produtivo. Esse material foi encaminhado ao MAPA e será priorizado pelos órgãos registrantes.

Participações

  • COMISSÃO TÉCNICA DA PRODUÇÃO INTEGRADA DO CAFÉ (MAPA)
  • COMITÊ BRASILEIRO DE NORMALIZAÇÃO (INMETRO)
  • COMITÊ CODEX ALIMENTARIUS DO BRASIL (INMETRO)
  • COMITÊ DE MARKETING DO CONSELHO DELIBERATIVO DA POLÍTICA DO CAFÉ (MAPA)
  • COMITÊ DIRETOR DE PESQUISA E DESENVOLVIMENTO DO CAFÉ (MAPA)
  • COMITÊ DIRETOR DE PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO DO CAFÉ (MAPA)
  • COMITÊ DIRETOR DE PROMOÇÃO E MARKETING DO CAFÉ (MAPA)
  • COMITÊ DIRETOR DO ACORDO INTERNACIONAL DO CAFÉ (MAPA)
  • CONSELHO DELIBERATIVO DA POLÍTICA DO CAFÉ – CDPC (MAPA)
  • GRUPO DE TRABALHO DE CONTAMINANTES DE ALIMENTOS DO CODEX ALIMENTARIUS (ANVISA)
  • GRUPO DE TRABALHO DE FISCALIZAÇÃO E CERTIFICAÇÃO DE ALIMENTOS IMPORTADOS DO CODEX ALIMENTARIUS (INMETRO)
  • GRUPO DE TRABALHO DE HIGIENE DE ALIMENTOS DO CODEX ALIMENTARIUS (ANVISA)
  • GRUPO DE TRABALHO DE RESÍDUOS DE PESTICIDAS DO CODEX ALIMENTARIUS (MAPA)
  • GRUPO DE TRABALHO NO ÂMBITO DO PLANO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO DO AGRONEGÓCIO DO CAFÉ (MAPA)
  • GRUPO DE TRABALHO PARA ELABORAÇÃO DA AGENDA ESTRATÉGICA DO AGRONEGÓCIO DO CAFÉ DO BRASIL (MAPA)
  • GT PARA REVISAR A ESTRATÉGIA BRASILEIRA DE NORMALIZAÇÃO, REGIMENTO INTERNO, DO COMITÊ BRASILEIRO DE NORMALIZAÇÃO/CBN (INMETRO)

Notícias

Vídeos