Cana-de-açúcar

A CNA trabalha para fortalecer a atividade da cana-de-açúcar, aumentar a rentabilidade do produtor, promover internacionalmente o agronegócio brasileiro e ampliar o acesso a mercados. Na estrutura da CNA, a Comissão Nacional de Cana-de-Açúcar coordena as ações relacionadas à essa atividade, representando os produtores e promovendo articulações junto ao executivo, legislativo e demais órgãos relacionados ao setor. Além disso, o Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar) fomenta a capacitação e presta assistência técnica e gerencial na propriedade rural. Explore os temas relacionados à atividade da cana-de-açúcar e veja o que o Sistema CNA está fazendo pelo produtor rural.

A Comissão Nacional de Cana-de-açúcar é formada por representantes das Federações Estaduais de Agricultura e Pecuária e entidades civis ligadas ao setor. O objetivo da comissão é atuar no âmbito técnico, político e econômico do setor, defendendo e representando os interesses do produtor de cana de açúcar em fóruns, audiências e congressos no Brasil e no exterior. As reuniões ordinárias da comissão visam detectar, discutir e propor soluções e políticas públicas que favoreçam o produtor de cana-de-açúcar e o setor sucroenergético.

Comissão Nacional de Cana-de-açúcar

Relato das ações da Comissão

  • Acompanhamento da composição e variação dos custos de produção da cana de açúcar através do Projeto Campo Futuro;
  • Elaboração de propostas de políticas públicas;
  • Atuação junto ao legislativo em defesa de projetos que favoreçam o setor;
  • Apoio técnico e político ao CONSECANA;
  • Monitoramento visando subsidiar as ações de mitigação da inadimplência da indústria com os fornecedores de cana-de-açúcar;
  • Promoção do uso de energia de biomassa na matriz energética brasileira.

Resultados Alcançados

  • Publicação da Lei 12.865/2013 que modernizou a Lei 4.870/1965, suprimindo o artigo 36, que obrigava o recolhimento de 1% do faturamento sobre a produção;
  • Levantamento dos custos de produção da cana-de-açúcar produzida em diferentes regiões do país;
  • Aumento do percentual de etanol na gasolina de 25% para 27,5%, beneficiando diretamente o produtor de cana de açúcar;
  • Manutenção definitiva da linha de financiamento PRORENOVA no Plano Agrícola e Pecuário.


Membros

Representante Federação UF
Adriano Tavares Marques FAERN RN
Alexandre Andrade Lima FEPLANA -
Alexandro Alves Dos Santos FAEG GO
Ana Carolina Alves Gomes FAEMG MG
Ana Thereza Da Costa Ribeiro FAEP PR
Antonio Luis Batista De Figueiredo FAEMA MA
Bruno Rangel Geraldo Martins ORPLANA -
Cintia Cristina Ticianelle FAEMA MA
Clóvis Tolentino FAMASUL MS
Edison José Ustulin FAESP SP
Ênio Jaime Fernandes Júnior CNA DF
Fernão Villela Zancaner FAEPA (PA) PA
Gerson Carneiro Leão FAEPE PE
Gustavo Rattes De Castro ORPLANA -
Guy de Capdeville EMBRAPA AGROENERGIA -
Helber Rodrigues De Araujo FAESE SE
Hugo Valério De Abreu Siqueira FAERJ RJ
Humberto De Moura Cocentino FAERN RN
Joaquim Sardinha Júnior FAEG GO
Jorge Moura FAEAC AC
José Inacio FAEPA PB
José Santos Silva Amado FAESE SE
Luciano Henriques FAES ES
Luis Alberto Moraes Novaes FAMASUL MS
Luis Henrique Scabello de Oliveira FEPLANA -
Luiz Otávio Jatobá FAEAL AL
Maciel Aleomir da Silva CNA DF
Marcos Zancaner FAEPA (PA) PA
Maurício Cezar Gomes De Salles FAERJ RJ
Nelson Hélio Zanotti FAES ES
Nelson Luiz Krastel FAEMG MG
Nicolau De Souza Freitas FAESP SP
Normando Corral FAMATO MT
Paulo José Buso Junior FAEP PR
Raimundo Nonato FAEPA PB
Rodolfo Oliveira Chavaglia APMP -
Rogério Nascimento de Avellar Fonseca CNA -
Rogério Romanini FAMATO MT
Vinícius Bof Bufon EMBRAPA CERRADOS -
Vinícius Cansanção Neto FAEAL AL

Participação em fóruns, Câmara Setorial ou Grupos de Trabalho

Participação em fóruns, Câmara Setorial ou Grupos de Trabalho

2019 – 1º semestre

Posicionamento contra limitações impostas pelo Zoneamento Agroecológico da cana de açúcar – ZAE

A CNA expôs ao MAPA a necessidade de revogação do Decreto nº 6.961/2009, que define os critérios para financiamento do setor sucroenergético com base no Zoneamento Agroecológico (ZAE) da cana-de-açúcar devido aos limitantes sem precedentes dessa norma. O MAPA se sensibilizou com o problema e a Coordenação Geral de Cana-de-açúcar elaborou uma nota técnica favorável à revogação. Essa nota encontra-se em avaliação pela Consultoria Jurídica do MAPA.

Posicionamento pela manutenção do registro do Glifosato

O Glifosato está em reavaliação toxicológica pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), a qual prevê a manutenção do ingrediente ativo no país, com novas medidas sanitárias, principalmente para o manejo do produto durante a sua aplicação e a sua dispersão.

A CNA participou da consulta pública da Agência, se posicionando favoravelmente à manutenção do registro. Além disso, elaborou um material técnico e o submeteu às Federações para subsidiá-las no sentido de que também participassem da consulta pública.

Pedido de priorização de defensivos agrícolas

Como forma de garantir a celeridade do processo de registros, a CNA participou da seleção e classificação de 74 defensivos agrícolas considerados prioritários ao setor produtivo. Esse material foi encaminhado ao MAPA e será priorizado pelos órgãos registrantes.

Participações

  • CÂMARA SETORIAL DA CADEIA PRODUTIVA DA CACHAÇA (MAPA)
  • CÂMARA SETORIAL DA CADEIA PRODUTIVA DO AÇÚCAR E ÁLCOOL (MAPA)
  • COMISSÃO BRASILEIRA DE AGRICULTURA DE PRECISÃO (MAPA)

Notícias

Vídeos