Minas Gerais

23/07/2020

Com apoio de parceiros e do Programa ATeG, produtores do Norte de Minas Gerais vão exportar mel para os Estados Unidos

Por: SENAR MINAS

Os municípios de Bocaiuva, Coração de Jesus, Guaraciama, Mato Verde e Porteirinha, no Norte de Minas, vão exportar para os Estados Unidos 10 toneladas de mel de aroeira. O carregamento deve sair do Brasil no mês de agosto.

O Sistema FAEMG/SENAR/INAES, em ações conjuntas com os Sindicatos dos Produtores Rurais, Codevasf e outras entidades, vêm trabalhando junto a COOPEMAPI - Cooperativa dos Apicultores do Norte de Minas na qualificação dos produtores para ampliar a produção apícola na região, incentivar a exportação e também ampliar a venda do mel e seus derivados no mercado interno.

A assistência aos produtores de mel no Norte de Minas se dá através do Programa de Assistência Técnica e Gerencial – ATeG, ministrado por instrutores e técnicos de campo do Sistema FAEMG/SENAR/INAES, que tem como objetivos organizar a oferta de produtos e aumentar a qualidade e produtividade da produção de mel.

Produtores de mel do Norte de Minas Gerais vão exportar para os EUA - SENAR MINAS
Entreposto de mel

Preparação para exportar

Um convênio entre o Projeto Agro.BR, da CNA, e Apex-Brasil executado pelo MAPA, em parceria com o SENAR, está viabilizando a geração de negócios internacionais para pequenos e médios empresários rurais do Semiárido Brasileiro.

Segundo o superintendente do SENAR Minas, Christiano Nascif, dentro do programa de interiorização do Sistema FAEMG/SENAR/INAES, vai haver a capacitação de todos os sindicatos conveniados para trabalhar com o Agro.BR. Os mobilizadores também serão preparados para prospectar novas demandas. “Vamos ampliar a informação sobre o Agro.BR no Semiárido”, informou.

No Norte de Minas, desde 2015, foram investidos R$ 15 milhões na execução de projetos como a construção do entreposto do mel em Bocaiúva, casas de mel, Programas de Arranjos Produtivos, dentre outras ações realizadas em parceria entre a Codevasf, Sistema FAEMG/SENAR/INAES, Sindicatos Rurais, institutos federais, secretaria de Estado da Agricultura, dentre outros.

Só o sindicato rural de Bocaiuva realizou, nos últimos cinco anos, em parceria com o Sistema FAEMG/SENAR/INAES, 32 treinamentos e capacitações na área de produção apícola. Cerca de 460 produtores de mel foram beneficiados. Essas demandas por capacitação foram levantadas pela mobilizadora Fátima Souto, que trabalha na identificação das necessidades desses produtores. Segundo o presidente do Sindicato dos Produtores Rurais de Bocaiuva, Mário Brant, o ATeG para os produtores de mel da região veio complementar a profissionalização dos assistidos. "Tudo isso vai facilitar na exportação do produto, que só tende a crescer pela qualidade do mel produzido”, disse.

Para o produtor e presidente da Cooperativa dos Produtores de Mel do Norte de Minas, assistido pelo ATeG, Luciano Fernandes, a expectativa dos produtores com a exportação do mel é muito grande. “Pois quando se começa a exportar temos a chance de conseguir preços melhores pelo produto. E também maior previsibilidade de aumento de produção e planejamento de produção do ano subsequente. É isso que a gente espera que aconteça com no entreposto da cooperativa que possamos produzir com a qualidade e a necessidade de mercado”, disse.

Produtores de mel do Norte de Minas Gerais vão exportar para os EUA - SENAR MINAS
Entreposto de mel

Diminuição dos custos e aumento do lucro

Conforme o relatório do técnico de campo Júlio César Pereira sobre os resultados obtidos pelo ATeG - Apicultura neste primeiro ano de implantação, os produtores atendidos conseguiram, graças às técnicas utilizadas na assistência técnica, um custo médio de produção de R$ 4,61 reais por quilo de mel, uma redução de 43% por quilo produzido. Dentro do ATeG uma das metas é exatamente o baixo custo de produção.

“Mesmo com as dificuldades dos últimos seis meses, com a produção de mel tendo queda de em média 50% por causa do excesso de chuvas na região, o grupo atendido pelo programa ATeG conseguiu produzir cerca de 23 toneladas de mel/ano a um preço médio de venda de R$ 11,99 por quilo, com mais de 60% de ganho líquido”, explicou o técnico.

O apicultor Hélio César de Oliveira, presidente do Conselho de Apicultura do Norte de Minas, também assistido pelo ATeG, é um dos que vão exportar sua produção de mel de aroeira. Segundo ele, essa perspectiva de exportação do mel é um antigo sonho dos apicultores da cooperativa. E é com o objetivo de vender melhor o produto, que os produtores vem aperfeiçoando e qualificando as técnicas de produção.

Hélio conta que já desenvolveu bastante o seu nível de produção e qualidade através das técnicas de manejo do ATeG, como a troca de cera no período correto, elevação dos níveis dos enxames menores, que cresceram através da alimentação orientada, nível organizacional de gerenciamento, anotações, controle de gastos, etc.

Produtores de mel do Norte de Minas Gerais vão exportar para os EUA - SENAR MINAS
Hélio de Oliveira, produtor

“Mesmo com as condições climáticas ruins para a apicultura que tivemos no último ano, estou produzindo 50% a mais. Só para se ter uma ideia, tenho enxame que produziu 50 quilos de mel este ano. Agora mesmo vai começar a florada da aroeira e já estamos com nossos enxames preparados para a produção, que promete ser melhor em função da falta de chuvas”, espera o apicultor.

Veja também