Mato Grosso do Sul

04/10/2020

“Agro Bastão” é aprovado entre 380 projetos inscritos em incubadora universitária

Por: Ellen Albuquerque Fonte: Assessoria de Comunicação do Sistema Famasul

Ideia de um “registro de ponto” específico para o campo que visa ampliar a segurança para trabalhadores rurais e auxiliar na gestão da propriedade.

Uma ferramenta simples, de baixo custo, que pretende auxiliar no monitoramento das ações de propriedades rurais. Este é o objetivo do “Agro Bastão”, projeto que surgiu no Centro de Excelência em Bovinocultura de Corte do Senar Mato Grosso do Sul. A ideia de um “registro de ponto voltado para o campo” foi selecionada entre as 380 inscritas no processo seletivo de aceleração para pré-incubadora, da S-Inova (Agência de Inovação e Empreendedorismo da Universidade Católica Dom Bosco). A proposta tem foco na gestão da propriedade e segurança do trabalhador rural e atende à demanda de monitoramento das atividades realizadas no campo.

“O ‘Agro Bastão’ é um instrumento que permite o acompanhamento da execução das tarefas dos colaboradores em tempo real, como qual área de pasto o funcionário esteve, quanto tempo levou para o deslocamento, se alimentou os animais, se atendeu o piquete de maternidade, entre outros. Tudo isso monitorado através de um bastão que registra as atividades e a presença do funcionário nas envernadas da fazenda e podendo ser gerenciado pelo dono da propriedade rural através do celular”, explica o idealizador do projeto, o consultor técnico do Centro de Excelência, Gustavo Cavalca, que irá desenvolver a ferramenta juntamente com o aluno do Curso Técnico em Agropecuária, Wellington Andrade.

“Uma das principais dificuldades das propriedades rurais é a conectividade, essa ferramenta auxiliaria o produtor no acompanhamento das atividades de campo pois também funcionaria off-line, ou seja, quando o funcionário retornasse a sede os dados seriam descarregados”, destaca Cavalca. Depois de aprimorar a solução, a ferramenta será testada em uma propriedade e, sendo validada, será possível ter um feedback do produtor – principal cliente, para melhorar ou ajustar o que for necessário. Somente depois dessas etapas poderá ser disponibilizada no mercado.

O responsável pela ‘ponte’ entre oportunidade e solução, é o coordenador do AgroUp do Senar/MS, Rodrigo Scalabrini, programa que faz parte da Rede Nacional de Inovação para o Agronegócio, idealizado pela CNA (Confederação de Agricultura e Pecuária do Brasil).

Incubadora UCDB

A ideia está abrigada na Incubadora de Empresa e Projetos S-Inova/UCDB. A iniciativa foi aprovada para a modalidade de pré-incubação onde a modelagem de negócio será trabalhada.

 “A ideia é buscar aderência da solução apresentada, com a necessidade de mercado. Durante seis meses, período de incubação, a proposta será submetida a validações de hipótese em áreas como marco regulatório, concorrência, tecnologia, entre outros”, explica o analista técnico da S-Inova, Fabiano Pereira.

A agência tem como objetivo identificar, apoiar, promover e implementar parcerias com instituições para a adequada utilização no conhecimento desenvolvido em prol do desenvolvimento social e econômico. O departamento é responsável pelo processo de pré-incubação e incubação de empresas que possuam caráter inovador. Diminuir a taxa de mortalidade das empresas e a redução de riscos e custos estão entre as vantagens de fazer parte desta incubadora.

Centro de Excelência

O engajamento e empreendedorismo fazem parte do conteúdo programático e metodologia aplicados em todas as capacitações do Centro de Excelência. “O aluno Senar vai além da mão de obra capacitada, ele é um especialista no assunto, se torna um funcionário qualificado, e desenvolve o perfil empreendedor durante os cursos. Neste caso, poderá disponibilizar no mercado uma ferramenta que atende as necessidades do público alvo: o produtor rural”, acrescenta Cavalca.

“Ter um ecossistema, com instituições sincronizadas na busca de respostas aos produtores rurais, é o caminho para alcançar novos patamares e amadurecer ideias. Um trabalho em conjunto com foco na formulação, aperfeiçoamento e implementação de boas propostas”, explica Scalabrini.

Assessoria de Comunicação do Sistema Famasul - Ellen Albuquerque

Veja também