Cartilhas CNA de Sanidade Aquícola

A aquicultura é a atividade agropecuária que mais cresce no Brasil e no mundo e desempenha papel significativo no fornecimento mundial de alimentos. Entretanto um dos principais entraves da atividade está relacionado às questões de sanidade e biosseguridade.

Nesse sentido, o Manual abaixo tem como objetivo auxiliar os atores envolvidos diretamente na cadeia produtiva de animais aquáticos (maricultura, ostreicultura, piscicultura, carcinicultura e outros) a reconhecer doenças de importância para a aquicultura nacional.

É importante ressaltar que todo cidadão deve estar ciente de suas responsabilidades para notificar, rapidamente, qualquer suspeita de doença para as autoridades locais, visando à saúde animal e colaborando na promoção da saúde humana.

Clique na imagem abaixo para obter a publicação completa:

BIOSSEGURIDADE

Segundo dados da FAO, em 2014, a produção mundial de pescado (para consumo humano) obtido pela aquicultura superou a produção de pescado obtido pela pesca extrativa.

Nesse cenário, um dos maiores desafios para o aumento da produção de pescado obtido pela aquicultura é o controle de doenças nos cultivos. Independentemente do que se cultiva (crustáceos como camarões; peixes exóticos como a tilápia; peixes nativos como o tambaqui; moluscos como as ostras e os mexilhões etc.), é sabido que, dependendo da dimensão do surto de uma doença, a atividade pode ser totalmente inviabilizada economicamente.

A biosseguridade no cultivo de animais aquáticos é a atenção dada pelo produtor, pelos seus funcionários e pelos colaboradores às práticas que devem ser adotadas na propriedade para evitar a ocorrência de doenças nos plantéis.


Clique na imagem abaixo para ver o documento na íntegra:

Áreas de atuação

Aquicultura

Veja também