Mato Grosso do Sul

Projeção: VBP do agro em Mato Grosso do Sul pode crescer aproximadamente 11% em 2021
VBP Web

13 de dezembro 2021
Por CNA

O VBP (Valor Bruto da Produção) da agropecuária em Mato Grosso do Sul teve uma variação positiva de 10,93% em 2021. A projeção foi elaborada pelo Departamento Técnico do Sistema Famasul, que apontou aumento de R$ 65,13 bilhões em 2020 para R$ 72,25 bilhões neste ano.

“Para esse aumento no faturamento do agro sul-mato-grossense, o desempenho da agricultura teve papel fundamental porque, se por um lado o milho sofreu perdas em razão das condições climáticas adversas, por outro a soja e cana-de-açúcar registraram ganhos no volume produzido e nos preços praticados, fazendo com que a agricultura aumentasse a receita em 16,29% de 2020 para 2021”, explica a analista técnica, Eliamar Oliveira.

Mesmo com uma redução de 8,51% no volume das exportações em relação ao ano anterior, Mato Grosso do Sul teve um acréscimo de 12,11% na receita, com valor estimado em US$ 6,2 bilhões até o final deste ano. Entre os principais setores estão a soja, com participação de 36,31%, a celulose, com 24,42%, e a carne bovina, com 14%. O total em volume corresponde a mais de 12 milhões de toneladas destinadas ao mercado externo.

Ainda segundo a analista, o aumento na receita com as exportações do agronegócio é reflexo da valorização nos preços internacionais, o que compensa a queda no volume embarcado. “A maior contribuição veio do complexo soja que, em média, registrou faturamento 39% superior ao ano de 2020 . Em seguida, a receita com exportações de carnes, que foi 21% maior entre um ano e outro”, relata.

De acordo com o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, a China é o principal destino dos produtos do estado, responsável por praticamente metade das aquisições, com 48,54%. Seguida pelos Estados Unidos com 5,72% e os Países Baixos, responsável por 4,37% da produção exportada.

Produção de MS  – A produção de soja na safra 2020/21 foi de 13,3 milhões de toneladas em Mato Grosso do Sul. Já a cana-de-açúcar colheu 48,9 milhões de toneladas no período. As proteínas somaram 1,4 milhões de toneladas em produção. Foram 742 mil toneladas de carne bovina, 210 mil em suínos e 470 mil em frangos.

“Em que pese as dificuldades climáticas enfrentadas pelas atividades agrícolas e os altos custos sofridos pela produção de proteína, a agropecuária sul-mato-grossense foi estimulada pelos bons preços e respondeu com aumento de produção como é o caso de suínos e aves que devem encerrar o ano com abates superiores a 2020”, finaliza Eliamar.