ALIMENTAR

É CONSTRUIR

O FUTURO

Produtores aprovam resultados do Forrageiras para o Semiárido
Estande forrageiras agropec

Afirmações aconteceram no estande do projeto no 3º Agropec Semiárido, em João Pessoa (PB)

28 de setembro 2022
Por CNA

João Pessoa/PB (28/09/2022) – Com quatro anos de pesquisas e testes, o projeto Forrageiras para o Semiárido, parceria da Confederação da Agricultura e Pecuária (CNA) e da Embrapa, apresenta resultados importantes para os produtores da região. São eles que contam a experiência ao visitarem o estande do projeto no 3º Agropec Semiárido, em João Pessoa (PB).

A iniciativa começou em 2017 com a implantação de 12 Unidades de Referência Tecnológica (URTs) em todos os estados da região Nordeste e no norte de Minas Gerais, em áreas representativas de semiárido brasileiro. O projeto avaliou o potencial produtivo e a adaptação das plantas forrageiras às condições climáticas do semiárido para recomendação de novas opções de fonte de alimento para os rebanhos.

“Adquiri a plantação de palma, a orelha de elefante e outras variedades, e para mim foi gratificante, sustento meus animais através da palma, tem a ração, mas o volumoso é a palma. Sobre o evento, nunca tinha participado e trouxe muito aprendizado para gente que é pequeno criador”, afirmou José Neto Queiroz de Farias, produtor de caprino de leite.

Produtores visitam estande do projeto.

Rodrigo Campos, produtor de caprino de corte, disse que não trabalhava com o capim massai, outra forrageira pesquisada pelo projeto, mas com a experiência na Unidade de Referência no município de Tenório (PB), resolveu plantar em uma área para experimentar.

“Experimentamos na alimentação do rebanho, principalmente os caprinos em processo de engorda e terminação. Teve uma ótima aceitabilidade, a gente consegue dar de dois a três cortes, dependendo do índice pluviométrico do ano, mas é um capim fantástico, com uma resistência ao clima da região. Estamos satisfeitos e a tendência é implantar em mais áreas para que se torne rotineiro dentro da dinâmica da propriedade”.

A primeira fase foi concluída em 2021, com resultados importantes para o desenvolvimento da pecuária na região, explica a pesquisadora Ana Clara Cavalcante, líder do projeto e chefe da Embrapa Caprinos e Ovinos, que deu palestra sobre os resultados e perspectivas do Forrageiras no Agropec.

“O projeto é fruto de uma parceria inédita da Embrapa e a CNA que trouxe resultados muito importantes, propondo opções de cardápios forrageiros para garantir que nas propriedades rurais não falte forragens para os animais”.

Humberto Gonçalves, técnico da URT em Tenório/PB, com Ana Clara, ao centro, e a assessora técnica da CNA, Marina Zimmermann.

Ana Clara ressalta que na segunda fase serão feitos ensaios com a presença dos animais, bovinos de corte e leite e ovinos, em pequenas propriedades, para avaliar a resiliência em forrageiras predeterminadas após a fase 1. A etapa acontecerá em municípios de Alagoas, Bahia, Ceará, Maranhão, Minas Gerais, Pernambuco, Paraíba, Piauí, Rio Grande do Norte e Sergipe.

“Nossa expectativa é que, por meio desse projeto, consigamos estimular os produtores da região a se profissionalizarem e a superarem o desafio que é a produção de forragens no ambiente semiárido, para trazer segurança alimentar animal ao semiárido”.

Para auxiliar os produtores na gestão e no manejo dos recursos forrageiros, a CNA e a Embrapa desenvolveram o aplicativo Orçamento Forrageiro, disponível para smartphones com sistema Android. Alguns dos benefícios do app são redução e custos com alimentação, menor dependência de insumos externos e aumento da autonomia na produção e forragem.

Assessoria de Comunicação CNA
Telefone: (61) 2109-4135/1421/1447
flickr.com/photos/canaldoprodutor
twitter.com/SistemaCNA
facebook.com/SistemaCNA
instagram.com/SistemaCNA
facebook.com/SENARBrasil
youtube.com/agrofortebrasilforte