Paraná

18/12/2018

Metodologia desenvolvida pela FAEP irá identificar as demandas das minor crops

Uma metodologia desenvolvida pela FAEP para o levantamento das demandas das culturas com suporte fitossanitário insuficiente – as chamadas Minor Crops – será utilizada em todo o Brasil. No dia 7 de outubro, as entidades representativas dos setores de frutas e hortaliças no cenário nacional constituíram o Grupo de Trabalho Minor Crops Brasil, formado por mais de 40 instituições, entre Federações da Agricultura (como a FAEP), associações de produtores, órgãos de governo, pesquisa e outras entidades representativas, sob o comando do Instituto Brasileiro de Horticultura (Ibrahort).

O objetivo é promover um trabalho de abrangência nacional para identificar quais as culturas estão carentes de produtos para o seu manejo e posteriormente articular estas demandas junto às indústrias de agroquímicos e às entidades registrantes, como o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama).

“Com esse trabalho vamos conseguir visualizar o cenário das demandas fitossanitárias do país, muitas vezes semelhantes entre diferentes regiões”, avalia a engenheira agrônoma do Departamento Técnico Econômico (Detec) do Sistema FAEP/SENAR-PR, Elisangeles Souza.

Segundo ela, o principal desafio está na articulação dos agentes responsáveis por este processo, como governo, indústria de agroquímicos e de produtos biológicos, produtores rurais, profissionais técnicos e órgãos de pesquisa, para juntos promoverem a identificação das demandas e os registros necessários.

Nesse levantamento, além das frutas e hortaliças, estão sendo identificadas demandas para leguminosas, como amendoim, oleaginosas, como a canola, e cereais como aveia, cevada, também consideradas culturas “Minor Crops” de acordo com a Instrução Normativa Conjunta nº 1/2014.

Em 2016, Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul, juntos, promoverem o levantamento das demandas de Minor Crops nos três Estados. Na ocasião, também foi utilizada a metodologia desenvolvida pela FAEP, que agora será expandida para todo Brasil.

Clique aqui para ler a matéria completa

Veja também