08/06/2016

Mais Inovação demonstra benefícios da gestão e assistência técnica em 4 anos de atividades

“O envolvimento do produtor rural em ações e eventos que envolvam inovação tecnológica é a melhor comprovação que estamos no caminho certo ao investir em assistência técnica”. A afirmação do superintendente do SENAR/MS – Serviço Nacional de Aprendizagem Rural, Rogério Beretta aconteceu durante a reunião anual do GTPS – Grupo de Trabalho da Pecuária Sustentável realizada nesta terça-feira (7), no Centro de Convenções Rubens Gil de Camilo.

Na ocasião, Beretta apresentou os resultados do programa de assistência técnica e gerencial, Mais Inovação, idealizado em parceria com o Sebrae/MS  - Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas, com objetivo de oferecer ao produtor rural atendimento técnico e gerencial pautados em novas tecnologias de manejo, incentivo à prática de produção sustentáveis, empreendedorismo e foco no aumento da produtividade e renda.

“Nossa intenção é mostrar aos presentes os resultados obtidos a partir de uma assistência voltada especificamente à gestão rural e orientação técnica. O programa do SENAR/MS contribuiu para recuperação de 13 mil hectares de pastos, está presente em 30 municípios e atende 189 produtores que se dedicam atividade de bovinocultura de corte”, revela o superintendente.

Raio X do programa – O Mais Inovação foi implantado no Mato Grosso do Sul em 2012 no município de Inocência e atendia 31 propriedades. Nos quatro anos de trabalho, a mudança de comportamento dos produtores e os ganhos com sustentabilidade e produtividade tiveram crescimento expressivo, visto que somente no primeiro ano o percentual foi de quase 6% em pastagens recuperadas. “Para visualizar os ganhos produtivos na pecuária podemos apontar o aproveitamento da ocupação de pastos. No mesmo espaço de 32,6 mil hectares, a unidade animal aumentou na média de 21,3 mi para 69,2 mil”, esclarece Beretta.

De acordo com o gerente de agronegócios do Sebrae/MS, Marcus Rodrigo de Faria, o diferencial do programa é aliar gerenciamento e orientação técnica, com foco na diversidade da atividade rural. “Não há dúvidas sobre a eficiência do programa que atende as necessidades de inovação tecnológica observadas em muitas propriedades do Estado. Os interessados podem participar do programa, por intermédio do sindicato rural do seu município ou região”, argumenta.

O presidente do Sindicato Rural de Santa Rita do Pardo, Florindo Cavalli Neto aderiu ao programa há três anos e reforça os ganhos obtidos com a assistência técnica. “Sou filho de produtor rural e há 10 anos assumi a administração da propriedade dedicada à bovinocultura de corte. Iniciei no programa com lotação de 0,4 animais por hectare e atualmente chegamos a 3,2”, detalha.

Cavalli sugere ainda que é preciso mais apoio da iniciativa privada, no sentido de beneficiar os produtores que participam de programa. “Ainda que o produtor rural tenha juros diferenciados no mercado, o valor pesa no orçamento. Eu acredito que a parceria de uma instituição financeira ao programa alcançaria mais produtores, visto que muitos querem investir em inovações tecnológicas, porém dependem de linhas de crédito”, aponta.

Sobre o ATeG – A Assistência Técnica e Gerencial do SENAR/MS contabiliza 2.800 atendimentos em propriedades rurais desde 2012 e registra 100 mil horas de consultoria. A metodologia tem objetivo de oferecer de forma continua, consultoria gerencial e tecnológica preparada para diagnosticar e solucionar problemas relacionados a produção e gestão da atividade rural desenvolvida dentro da propriedade rural. Além do Mais Inovação, o programa atende produtores com atividades em bovinocultura de leite (Mais Leite), piscicultura (ATeG Piscicultura) e hortifrutigranjeiros (Hortifruti Legal).

Assessoria de Comunicação do Sistema Famasul/ SENAR/MS
www.famasul.com.br

Veja também