Santa Catarina

28/01/2020

Lei da Integração: Negociação do preço do tabaco encerra sem acordo

Fonte: MB Comunicação

Os produtores de fumo e as indústrias fumageiras participaram da segunda rodada de negociações realizada na sede da Associação dos Fumicultores do Brasil (Afubra), em Santa Cruz do Sul, na última sexta-feira (24). Oito empresas estiveram presentes na reunião, que teve como objetivo determinar o preço do tabaco para a safra deste ano, mas novamente encerrou sem acordo.

A Comissão de Representação dos Produtores de Tabaco denunciou o desrespeito das fumageiras com os produtores rurais e apontou que as propostas de reajustes apresentadas não cobrem sequer o custo de produção. Outro ponto levantado pelas entidades é que as empresas descumprem as regras estabelecidas no Fórum Nacional de Integração do Tabaco (Foniagro), criado por determinação da Lei 13.288/2016 (Lei da Integração).

“Sete empresas apresentaram valor inferior ao custo de produção, variando de 2,1% a 2,85% os reajustes propostos. Uma indústria não apresentou proposta. Isso é alarmante e, principalmente, desrespeito com os produtores de tabaco, eles não avaliam como é a realidade do campo”, afirmou o representante da Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de Santa Catarina (Faesc) e presidente do Sindicato Rural de Irineópolis Francisco Eraldo Konkol.

Para padronizar a metodologia do custo de produção e unificar o levantamento dos dados para serem seguidos pelas empresas e pela representação dos produtores, a comissão solicitou uma nova reunião do Foniagro para o dia 5 de março, quinta-feira.

Konkol recomenda aos produtores que façam o controle da mão de obra do cultivo do tabaco. “Será fundamental registrar todos os custos, desde o processo de manejo do solo, classificação, serviços terceirizados, carga horária até a colheita. É necessário que os produtores rurais avaliem o preço pago pelas indústrias. Os responsáveis dessas empresas fumageiras devem considerar as despesas dos fumicultores e, principalmente, contribuir para a lucratividade e para a valorização da atividade”, concluiu.

COMISSÃO

A Comissão de Representação dos Produtores de Tabaco é representada pela Afubra, pelas Federações dos Sindicatos Rurais (Faesc, Farsul, FAEP) e pelas Federações dos Trabalhadores Rurais (Fetag, Fetaesc e Fetaep).

Veja também