22/05/2019

CNA promove debate sobre criminalidade no campo

Brasília (22/05/2019) – As experiências bem-sucedidas em segurança rural no país foram apresentadas no 1° Painel sobre Criminalidade no Campo, na sede do Sistema CNA/SENAR/ICNA, na quarta (22), em Brasília. O encontro reuniu profissionais da Polícia Militar do Distrito Federal, Goiás, Espírito Santo, Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul.

presidente do Sistema CNA, João Martins
presidente do Sistema CNA, João Martins

“A CNA está unindo esforços para buscar alternativas que garantam a segurança no campo. Uma dessas ações é dialogar com representantes de instituições que possuem conhecimento técnico para nos auxiliar na implantação de medidas de segurança em estados que ainda não dispõem de medidas específicas para o campo”, destaca o presidente do Sistema CNA, João Martins.

Durante a abertura do painel, o secretário-executivo do Instituto CNA, André Sanches, destacou que a instituição criou, em 2017, o Observatório da Criminalidade do Campo para reunir informações sobre casos de insegurança na zona rural pelo Brasil.

secretário-executivo do Instituto CNA, André Sanches
secretário-executivo do Instituto CNA, André Sanches

“A partir dessas informações, planejamos uma série de ações para sensibilizar os órgãos públicos quanto à necessidade de desenvolver políticas públicas e medidas de segurança para proteger os produtores rurais brasileiros”, afirmou.

O vice-presidente da CNA, deputado federal José Mário Schreiner (DEM/GO), destacou o uso de tecnologias de georreferenciamento pela polícia rural de Goiás.

vice-presidente da CNA, deputado federal José Mário Schreiner
vice-presidente da CNA, deputado federal José Mário Schreiner

“Os imóveis rurais estão sendo cadastrados em um banco de dados. Essas ações vão subsidiar as ações de policiamento rural através do serviço de inteligência como, por exemplo, possibilitar que a polícia militar esteja na propriedade rural em um tempo mais curto em casos de ocorrências”, destacou.

A adoção de tecnologias e estratégias de inteligência aliadas ao vínculo de confiança estabelecido entre a PM e os produtores rurais geraram bons resultados, conforme explicou o tenente-coronel Vinicius Roldão, chefe da seção de Comando e Controle Rural da Polícia Militar de Goiás.

tenente-coronel Vinicius Roldão
tenente-coronel Vinicius Roldão

“Nos locais onde implantamos a metodologia de trabalho de policiamento rural, tivemos redução de 60% nas ocorrências em propriedades rurais, queda de 26% dos crimes de furto nas propriedades e a redução de 16% em crimes de furto a cargas”, declarou.

A experiência para combater a criminalidade na região de fronteira foi apresentada pelo tenente-coronel Antônio Felipe Zinga, comandante do 1° Batalhão da Área de Fronteira da Brigada Militar do Rio Grande do Sul.

Tenente-coronel Antônio Felipe Zinga
Tenente-coronel Antônio Felipe Zinga

“Por meio da parceria entre os sindicatos rurais da região e os órgãos de vigilância, nós estamos conseguindo reduzir os crimes em áreas de fronteira. Realizamos um combate acirrado a roubo de animais e promovemos ações e programas rotineiros com os proprietários rurais”, destacou o comandante.

Também apresentaram as ações de segurança no campo: o tenente-coronel da Polícia Militar Rural do Distrito Federal, Osvaldo Cordeiro de Lisboa Júnior; o major da Polícia Militar do Espírito Santo, Edinei Balbino de Souza, o capitão da Polícia Militar do Paraná, Íncare Correa de Jesus e o tenente-coronel da PM em Santa Catarina, Adair Alexandre Pimentel.

O evento também teve a participação do Secretário Estadual de Segurança Pública de Goiás, Rodney Miranda e o representante da Federação da Agricultura do Estado de Minas Gerais (Faemg), Francisco Maurício Barbosa Simões.

Assessoria de Comunicação CNA
Fotos: Wenderson Araujo e Tony Oliveira
Telefone: (61) 2109-1419
flickr.com/photos/canaldoprodutor

cnabrasil.org.br

twitter.com/SistemaCNA

facebook.com/SistemaCNA

instagram.com/SistemaCNA

facebook.com/SENARBrasil

Veja também