CNA e Federação da Paraíba lançam 10º Congresso Internacional de Palma
Whats App Image 2021 07 20 at 15 40 17

Lançamento será na quinta (22)

20 de julho 2021
Por CNA

Brasília (20/07/2021) – A Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) e a Federação da Agricultura e Pecuária da Paraíba (Faepa/PB) lançam, na quinta (22), o 10º Congresso Internacional de Palma e Cochonilha.

O lançamento, previsto para acontecer a partir das 11h, terá a participação dos presidentes da CNA, João Martins, da Faepa, Mário Borba, e da ministra da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), Tereza Cristina, e será transmitido pela plataforma Agro pelo Brasil (www.agropelobrasil.com.br) e pelo Canal da Faepa no Youtube https://www.youtube.com/user/FaepaSenar.

O Congresso Internacional será realizado no período de 28 a 31 de março de 2022, em João Pessoa (PB), por meio da parceria entre Faepa/PB, Sociedade Internacional de Ciência Hortícola (ISHS) e Rede de Cooperação Técnica Internacional sobre a Palma da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e Agricultura (FAO-ICARDA).

O evento, que ocorrerá presencialmente em 2022 respeitando todos os protocolos de segurança, terá como foco os avanços na pesquisa e produção da palma e o compartilhamento dos resultados com a comunidade acadêmica internacional. As inscrições estão abertas e podem ser realizadas no link https://bit.ly/3eClMHp. A programação e mais informações sobre o evento estão disponíveis no endereço www.cactuscongress2022.com.

O último congresso realizado no Brasil ocorreu em 2007 também em João Pessoa. De lá para cá expressivos avanços ocorreram: a Associação Brasileira de Palma e outras Cactáceas foi fundada, bem como a criação e consolidação de seu Congresso Brasileiro, realizado bienalmente, e que já se encontra em sua 5ª edição com divulgação dos resultados da pesquisa nacional com essa cultura.

Houve grande expansão no plantio de novas variedades de palma forrageira resistentes à cochonilha do carmim em toda a região Nordeste, além do registro de defensivos agrícolas no Mapa para combater essa praga em variedades susceptíveis.

Além disso, portarias que aprovam o Zoneamento Agrícola de Risco Climático (Zarc) para a cultura de palma forrageira passaram a ser publicadas pelo Mapa com o objetivo de identificar os municípios aptos e o calendário agrícola de plantio. E, pela primeira vez, o Censo Agropecuário de 2017 do IBGE fez um levantamento de dados oficiais da cultura.

Em períodos de fortes estiagens, como as que normalmente acontecem na Região Nordeste, é observado que a palma forrageira se consolida como uma das melhores opções para a alimentação animal. Nesse sentido, o apoio à adoção a novas tecnologias, entre elas, a inclusão entre as prioridades fitossanitárias no Mapa, do registro de herbicidas para essa cultura, torna-se imprescindível o estímulo ao desenvolvimento da cultura da palma forrageira no país.

O Sistema CNA/Senar realiza um trabalho intenso para introduzir a palma na alimentação do rebanho da região. Desde 2017, em parceria com a Embrapa, desenvolve o projeto “Forrageiras para o Semiárido – Pecuária Sustentável” com o objetivo de desenvolver espécies adaptadas ao clima como alternativas para a alimentação e nutrição dos animais.

Nesse período, o projeto já avaliou o potencial produtivo e a adequação de plantas forrageiras às condições climáticas do semiárido para recomendação de novas opções de fonte de alimento para a pecuária.

Assessoria de Comunicação CNA