Minas Gerais

04/12/2019

Caso de sucesso: Após curso do SENAR, produtora de Cristália (MG) cria marca de doce de leite em homenagem ao pai

Por: SENAR MINAS

Narmia Albuquerque, moradora do município de Cristália no Norte de Minas, filha de produtor rural resolveu investir na fabricação e comercialização de doce de leite, depois de ter participado do curso de Pasteurização de Leite e Fabricação de Laticínios e Afins, realizado numa parceria do Sistema Faemg/Senar Minas e Sindicato dos Produtores Rurais de Grão Mogol.

Caso de sucesso - SENAR MINAS
A partir da esquerda: Dirceu Martins, gerente regional do Senar em Montes Claros; sr. Manoel e a filha Narmia; os mobilizadores Jíuza e Geraldo, do Sindicato dos Produtores Rurais de Grão Mogol

Segundo Narmia, quando surgiu a oportunidade de fazer o curso do Senar ela foi logo se inscrever, pois sempre teve vontade de investir no seu próprio negócio, mas precisava aprender as técnicas de produção. Durante o curso, ministrado pela instrutora Luciana Godinho, ela aprendeu as técnicas e etapas do processo de fabricação e comercialização do doce de leite em pasta. O doce produzido por ela na fazenda Santa Clara é comercializado em Montes Claros uma vez por semana. Começou vendendo 20 embalagens de 700 gramas; agora, já são 80 embalagens por semana.

Ela conta que, a princípio, comercializou os doces no mercado local para avaliar a aprovação do produto. Foi um sucesso. Todos que provaram aprovaram. Daí pensei em ampliar as vendas para Montes Claros, onde poderia ganhar mais. Pois, as pessoas de cidades maiores gostam muito de doces de leite da roça, produzidos de forma artesanal no fogão a lenha".

Caso de sucesso - SENAR MINAS

O leite usado para fazer os doces saí da fazenda da família, o que ajuda a diminuir os custos de produção. A produtora conta que, antes do curso do Senar não sabia fazer o doce, mas já sabia que, para comercializar o produto, tinha que aprender as técnicas de produção para garantir a qualidade da guloseima. 

Segundo elaa qualidade e o padrão de produção é o que garante a freguesia. Disse, que foi no curso do Senar, onde aprendeu a produzir o doce em maior escala, através de técnicas e padrão que caracterizam o produto. Aprendeu que tem que ter leite de qualidade, padrão de higiene, obedecer medidas, saber o ponto certo de cozimento, dentre outros fatores, que são de suma importância para a qualidade final do produto.

"O doce fez tanto sucesso, que neste um ano de produção a demanda foi aumentando e as encomendas crescendo, aí resolvi criar a minha marca, Doces Pai e Filha”, contou Narmia, orgulhosa. Ainda segundo ela, a matéria-prima para a fabricação dos doces é  produzida pelo seu pai, que não cobra nada dela. "O nome da marca foi uma forma de homenageá-lo e agradecê-lo", finalizou.

Veja também