Pará

12/02/2021

Apesar da pandemia, Senar Pará atendeu quase 30 mil pessoas em 2020

Por: Lorena Daibes Fonte: www.sistemafaepa.com.br

Em um ano atípico devido à pandemia de Covid-19 o Agro não parou e garantiu o alimento do campo à mesa. Durante todo o ano de 2020, o Sistema Faepa/Senar não mediu esforços para concretizar em ações efetivas que garantiram qualificação profissional, assistência técnica, realização de projetos e trabalho dos produtores rurais.

Apesar do número de alunos por turma ter sido reduzido, o Senar Pará atendeu 28.818 pessoas em 2020. Na área de Formação Profissional Rural (FPR) o Senar promoveu 1.772 treinamentos e capacitou 18.809 produtores e trabalhadores rurais nas atividades de agricultura, pecuária, agroindústria, aquicultura, extrativismo, silvicultura, e atividades de apoio agrossilvipastoril e de prestação de serviços. Já no setor de Promoção Social, foram realizados 604 eventos e 6.620 pessoas foram beneficiadas por ações voltadas à saúde, alimentação e nutrição, artesanato, educação e apoio às comunidades rurais.  Outras 3.389 pessoas foram atendidas pelas ações inovadoras de Assistência Técnica e Gerencial (ATeG), Formação Técnica (Curso Técnico em Agronegócio), Programas Especiais (Jovem Aprendiz) e pelo desenvolvimento de ações conjuntas com parceiros.

Em 2020, o Programa de Assistência Técnica e Gerencial atendeu produtores nas cadeias produtivas da bovinocultura de leite, bovinocultura de corte, fruticultura, horticultura e apicultura/meliponicultura levando informações técnicas para o progresso das propriedades rurais com o intuito também de impulsionar o desenvolvimento econômico, social e sustentável. Em função das medidas de isolamento social decorrentes das ações de combate ao coronavírus, a Assistência Técnica e Gerencial do Senar buscou alternativas e ferramentas que pudessem manter viável os atendimentos aos produtores, com o atendimento virtual, realização de lives e a divulgação de uma série de vídeos elaborados para auxiliar o processo de ensino-aprendizagem nas propriedades atendidas pela ATeG. Ao todo foram duas séries, uma sobre o funcionamento da ATeG com 9 títulos e outra sobre gestão, com objetivo de explicar os conceitos e cálculos de custos e indicadores, com 13 títulos.

Com 80% de aulas remotas e 20% de encontros presenciais, o Curso Técnico em Agronegócio – que desde a sua implantação em 2015 beneficiou mais de 1.594 jovens, formando 430 Técnicos em Agronegócio – encerrou o ano com 250 alunos matriculados em 10 polos no estado Pará, nos municípios de Almeirim, Capanema, Marabá, Moju, Paragominas, Santa Bárbara do Pará, Santa Izabel do Pará, Santarém, Ulianópolis e Xinguara. Já no final do ano, foi realizado processo seletivo inédito para o Curso Técnico em Fruticultura, em 5 novos polos, nos municípios de Capitão Poço, Curuçá, Salvaterra, São Caetano de Odivelas e Tomé-Açu.

Na área de Programas Especiais, o Jovem Aprendiz contou com a participação de 18 empresas rurais em diferentes atividades econômicas, sendo as empresas de óleo de palma (dendê) as que mais participaram do programa, que atendeu 494 jovens em 17 municípios.

Para o alcance de sua missão, o Senar contou com a parceria dos 10 Núcleos Regionais, 136 Sindicatos dos Produtores Rurais, assessores técnicos sindicais, instrutores, mobilizadores e colaboradores. O superintendente do Senar, Walter Cardoso, analisa que apesar das limitações em decorrência da pandemia, o ano de 2020 foi produtivo especialmente no que refere a  ampliação do nível de atuação dos cursos.

“Na área do ensino formal, o Senar dispõe de 10 polos formando técnicos na área de gestão do agronegócio. Também iniciamos processo seletivo com novo curso na área da fruticultura em 5 novos polos. Estamos convictos de que se não fosse o contexto de pandemia poderíamos fazer muito mais, e essa perspectiva que nos motiva para que em 2021 consigamos superar as marcas registradas no ano passado”, informou.

Conheça outras ações do Senar.

Educação a distância

A educação a distância no Senar tem o objetivo de desenvolver ações educacionais, principalmente envolvendo as tecnologias digitais, bem como apoiar às administrações regionais nas ofertas educativas cada vez mais alinhada com as mudanças tecnológicas da atualidade, mas não deixando de abranger tecnologias offline, tendo em vista algumas dificuldades de conexão no meio rural.

O portal de educação a distância do Senar é a ferramenta utilizada para a oferta da educação não formal, e que tem o intuito de contribuir com a formação e a profissionalização das pessoas do meio rural. Os cursos do EaD Senar de Formação Inicial e Continuada, estão organizados em 21 programas, totalizando atualmente 80 cursos gratuitos. No panorama provocado pela pandemia em 2020, as atividades presenciais foram reduzidas, aumentando consideravelmente a demanda por educação a distância. De janeiro a outubro foram disponibilizadas mais de 100 mil matrículas no portal EaD.

Saiba mais: http://ead.senar.org.br/

Coleção de Cartilhas

O Senar desenvolve, também, as cartilhas da coleção Senar para apoiar a formação profissional rural não formal. Esses recursos instrucionais são elaborados segundo metodologia preconizada pelo Senar e que tem por objetivo favorecer a aprendizagem adquirida, possibilitando o reforço e a consulta para a fixação do conteúdo ministrado nos cursos e treinamentos de FPR, PS e na Assistência Técnica e Gerencial.

A coleção Senar de cartilhas está disponível na Estante virtual, com mais de 170 títulos. É atualizada constantemente sempre que uma nova cartilha é lançada. No segundo semestre de 2019 até o início de novembro de 2020 foram realizados 444.001 downloads. Durante a pandemia foi perceptível o aumento significativo no número de downloads de cartilhas. Em média eram realizados 300 downloads dias e atualmente são em média 1.000 downloads dia.

Especificamente para as ações de educação a distância, o Senar publicou em 2020 alguns documentos com o intuito de subsidiar teoricamente, bem como o modus operandis de várias estratégias educacionais, como o processo de desenvolvimento de cursos a distância, baseado na internet, desde as abordagens pedagógicas, o projeto educacional, passando pela elaboração de conteúdo, bem como a roteirização com estratégias educativas de interação e interatividade com o conteúdo e o aluno facilitando o aprendizado.

Saiba mais: https://www.cnabrasil.org.br/senar/colecao-senar

1º Concurso de Vídeos Educativos da FPR e PS

Outro destaque em 2020, foi a realização do 1º Concurso de Vídeos Educativos da FPR e PS. O concurso foi destinado aos instrutores que atuam na Formação Profissional Rural e Promoção Social, com o objetivo de reconhecer os esforços dos educadores em proporcionar com criatividade informações qualificadas dentro de sua expertise profissional. A videoaula é uma forma de aprimorar as estratégias educativas tanto na educação a distância como no ensino presencial.  O Pará ficou entre os dez vencedores com o vídeo da instrutora Kamila Leão, sobre Divisão de colônias das abelhas sem ferrão (meliponicultura).

Confira: https://www.youtube.com/watch?v=KlKN06fBEGI&feature=youtu.be

CNA Jovem

 O Programa Jovens Líderes do Agro – CNA Jovem é uma iniciativa estratégica do Sistema CNA/Senar que fomenta a liderança empreendedora e desafia a juventude a alcançar maior protagonismo no setor. Voltado para jovens com idade entre 22 e 30 anos, formação técnica ou superior e vínculo com o agro, o programa alia o desenvolvimento de competências de liderança com capacitação em técnicas de inovação de produzir um elenco de iniciativas com resolutividade para desafios do setor, além de proporcionar um grande desenvolvimento pessoal e profissional.

Na edição 2020-2021, o Programa inovou e se reestruturou, acrescentando etapas novas e uma sequencia de módulos e oficinas digitais como forma de aprofundar o desenvolvimento, sem as limitações envolvidas com a realização de apenas eventos presenciais, e assim preparar e selecionar melhor os jovens com maior potencial de liderança para propor soluções para os desafios do setor.

O CNA Jovem 2020-2021 está dividido em duas grandes fases, ao longo de dois anos. No ano de 2020, particularmente, todas as atividades foram sendo realizadas remotamente, desde a inscrição, que aconteceu pelo site oficial do CNA Jovem, até a fase de oficinas remotas cujo objetivo era selecionar os 80 jovens com maior potencial de liderança do país para a fase que acontecerá em 2021, cujo objetivo é criar iniciativas inovadoras para os problemas do agro.

Para esta segunda fase, três jovens do Pará estão entre os 80 finalistas representantes de todas as regiões brasileiras, são eles: Antônia Vanderlane Albuquerque da Costa, Breno Monteiro dos Santos e Quésia Sá Pavão.

Feira Segura

Idealizado pelo Sistema CNA/Senar, o projeto Feira Segura busca orientar produtores rurais, feirantes, autoridades estaduais e municipais a promoverem feiras livres, com segurança, reduzindo o risco de contágio pelo novo coronavírus. Para isso foi elaborado o Guia Feira Segura, documento que segue as recomendações da Organização Mundial da Saúde (OMS) e visa orientar a realização de eventos destinados a comercialização de produtos alimentícios, nos sistemas convencional, e como uma inovação, também no formato Drive Thru, onde os consumidores fazem a compra sem sair do carro.

Em 2020, foram realizados mais de 5 eventos do Projeto Feira Segura, em Santa Bárbara, Itupiranga, Castanhal e Capanema. O Projeto Feira Segura promove treinamentos com os produtores rurais sobre os cuidados sanitários necessários, além de orientar a forma de embalar os produtos, que durante a feira são vendidos em quantidades padronizadas, tudo isso para evitar aglomeração dos clientes. Também é fornecido a cada produtor um kit contendo máscaras, luvas, camiseta, avental e álcool em gel.

O Projeto Feira Segura deixará um importante legado quanto aos cuidados com a manipulação e embalagem dos alimentos, das práticas de higiene pessoal e limpeza no ambiente das feiras, que permanecerão como objetivos do projeto em 2021. O modelo Drive Thru também se apresenta como uma boa opção em municípios com compradores mais exigentes, podendo ser uma alternativa de agregação de valor aos produtos do campo.

Saiba mais: https://cnabrasil.org.br/feira-segura

Escola Indústria Senar de Chocolate 

A Escola-Indústria Senar – Chocolate da Amêndoa à Barra é um projeto do Serviço Nacional de Aprendizagem Rural do Pará (Senar-PA) em parceria com a Comissão Executiva do Plano da Lavoura Cacaueira (Ceplac) e o Governo do Estado do Pará, através da Secretaria de Desenvolvimento Agropecuário e da Pesca (Sedap) e do Fundo de Desenvolvimento da Cacauicultura do Pará (Funcacau).

O projeto inovador e o primeiro do Senar em nível nacional, possibilitará a verticalização da produção de cacau no estado do Pará, atualmente o maior produtor mundial da amêndoa, através da geração de conhecimento, agregando valor ao cultivo do fruto e incentivando o produtor rural a investir na produção de chocolate.

A iniciativa contempla a instalação de 5 escolas nos municípios de Altamira, Igarapé-Miri, Medicilândia, Tomé-Açu e Castanhal, e ainda, a implantação de uma unidade móvel para a produção de chocolate. Dentro dessa proposta, na escola Indústria são promovidos cursos sobre o manejo do cacau ao chocolate, quando os participantes terão a oportunidade de compartilhar de aulas práticas e vivenciar o contato com maquinário para o aprendizado da produção de chocolate.

Veja também