Mato Grosso

15/10/2021

Aliança Agroeconômica lança relatório do 3° trimestre de 2021

Por: Ascom Famato Fonte: Ascom Famato

A Aliança Agroeconômica, grupo que analisa e produz dados da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária (Imea), Federação da Agricultura e Pecuária de Mato Grosso do Sul (Famasul) e Instituto para o Fortalecimento da Agropecuária de Goiás (Ifag), se reuniu esta semana (13/10) para discutir e lançar o relatório do 3° trimestre de 2021 com dados das principais atividades agropecuárias do Centro-Oeste.

A edição destaca os recordes nas exportações agropecuárias brasileiras ocasionados pelos preços mais altos das commodities agropecuárias no mercado externo, mercado pecuário, produção de etanol, projeto Campo Futuro, estatísticas da região, entre outros.

No comparativo com o 3° trimestre do ano anterior, as exportações nacionais da bovinocultura tiveram acréscimo no valor FOB exportado de 54,45%, totalizando US$ 6,59 bilhões. No Centro-Oeste, o crescimento do valor FOB exportado foi de 57,19%, apesar do aumento de 14,03% do volume, que chegou às 606,66 mil toneladas.

Outro bom resultado do trimestre foram os envios de milho na região, que registraram acréscimo de 15,50% em volume exportado comparado ao mesmo trimestre do ano passado.

O relatório mostrou também os impactos da suspensão das exportações para a China, em consequência de dois casos da doença de Vaca Louca anunciados pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), em setembro de 2021. O anúncio acendeu o sinal de alerta no mercado pecuário fazendo com que os agentes reduzissem os negócios. Isso acarretou alteração no funcionamento do mercado e mais pressão nos preços da arroba, que já vinham sendo pressionadas pela diminuição do envio de animais para abate, por conta da entressafra. 

A arroba do boi gordo registrou desvalorização de 4,7% em setembro de 2021, ante agosto do mesmo ano. Mato Grosso do Sul teve a maior retração nos preços, de 5,3%, seguido por Mato Grosso, 4,6% e Goiás, 4,1%.

O documento trouxe ainda um panorama da produção de etanol de milho no Centro-oeste e no país. Na safra 2020/2021 o Brasil produziu 32,8 milhões de m³ de etanol, desse total 11,4 milhões de m³ foram gerados pela região Centro-Oeste, com participação de 34,9%.

Quando somadas as produções de etanol de cana-de-açúcar e de milho, o maior produtor da região é o estado de Goiás, seguido por Mato Grosso e Mato Grosso do Sul. Contudo, quando analisada somente a produção de etanol de milho, Mato Grosso se destaca como o maior produtor nacional.

O relatório apresentou os dados dos painéis de levantamento de custo de produção promovidos pelo Projeto Campo Futuro realizado pela CNA e Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar). Em 2021 foram realizados 127 painéis de levantamento de custo sobre 24 atividades produtivas, com a participação de 1.604 produtores rurais e consultores locais, pesquisadores e técnicos do Senar.

Aliança Agroeconômica – O grupo foi formado em 2018 a partir de uma cooperação técnica entre a CNA, a Famasul, o Imea e o IFAG.

Para conferir o relatório completo acesse: http://www.sistemafamato.org.br/portal/arquivos/14102021031614.pdf

A live também pode ser assistida aqui: https://www.youtube.com/watch?v=ZpioTbv9Xf0


Veja também