30/01/2018

Mulheres ganham espaço no campo e ocupam 30% dos cargos de comando

Por: FAESC

Os anos recentes não foram só de ganho de produtividade e aumento do uso da tecnologia no campo. Ele também ficou mais feminino. Uma em cada três propriedades rurais do País tem mulheres ocupando funções de comando – há cinco anos, eram 10%. Quando não são as principais responsáveis pelas propriedades, elas atuam como administradoras, dividem as atividades com um familiar ou estão sendo preparadas para assumir essas funções.
 
Os dados são de uma pesquisa da Associação Brasileira de Marketing Rural e Agronegócio (ABMRA) e antecedem o Censo Agropecuário, do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), que deve ficar pronto este ano. O levantamento foi feito ao longo de 2017, com 2.090 agricultores e 717 pecuaristas de 15 Estados.
 
Criada em uma fazenda de gado de São Sepé, no Rio Grande do Sul, Fernanda Costabeber, de 26 anos, nunca pensou em ser apenas a “filha do dono”. Ela e a irmã mais velha foram acostumadas desde pequenas a participar das atividades da propriedade de 1,6 mil hectares.
 
“O meu pai não é de uma família de pecuaristas tradicionais, começou tudo do zero e sempre disse que nos criaria para tomar conta do negócio no futuro, ensinando todas as funções que um filho homem teria de aprender”, conta. “Muitas meninas acabam ouvindo que não dariam conta de tocar uma fazenda. Acho que ter aprendido desde cedo que seria capaz de administrar o negócio foi uma das coisas mais importantes.”

Áreas de atuação

Assuntos fundiários

Veja também