Rio Grande do Sul

14/08/2019

Jovem Aprendiz: o encontro de quem busca qualificação para crescer

Fonte: Fonte: ASSCOM SENAR-RS

Uma atividade econômica presente em mais de 40 mil propriedades rurais gaúchas sofre com a falta de mão de obra qualificada. Trata-se da apicultura. Mas a descrição poderia se encaixar em várias outras atividades rurais, em que o principal insumo em falta é a qualificação adequada. A dificuldade de encontrar trabalhadores familiarizados com a criação de abelhas levou o produtor rural e presidente da Câmara Setorial da Apicultura do RS, Aldo Machado, a se interessar em colaborar com a formação de novos profissionais através do Programa Jovem Aprendiz, oferecido atualmente pelo SENAR-RS em 10 Municípios gaúchos.

"No Rio Grande do Sul, existem 488 mil colmeias. Quase metade da nossa produção de mel é exportada, principalmente para os Estados Unidos. É uma atividade com baixo custo de instalação, já que não é necessário ter muita área, ao contrário da pecuária, por exemplo. Mas é difícil achar alguém já pronto para trabalhar, por isso temos interesse em apresentar essa possibilidade aos participantes do Jovem Aprendiz", revela.

O Programa conta com o apoio de produtores rurais e empresários que possibilitam aos jovens a prática em seus estabelecimentos, consolidando a aplicação dos conceitos passados em aula. De acordo com o gestor do Programa Jovem Aprendiz, José Antônio Simões Pires, os jovens aprendem primeiramente sobre matemática, português, informática, cidadania e segurança do trabalho, nivelando os conhecimentos básicos da turma. Após esta etapa, as aulas se concentram nos aspectos teóricos da área de atuação ofertada - fruticultura, administração rural, pecuária de corte ou silvicultura, atendendo as necessidades da região onde o programa é oferecido. É depois dessa preparação, que o jovem mergulha na atividade prática, com oportunidades de trabalho oferecida por produtores e empresários da região: "É o momento em que o jovem começa a sair mais do ambiente de aula e verificar na prática como funciona o mercado de trabalho e a relação existente entre o conhecimento adquirido no curso com o que o mercado de trabalho necessita", explica José Antônio.

Camilo de Oliveira, de 17 anos, acaba de concluir a formação pelo Jovem Aprendiz, na primeira turma a terminar o programa no município de São Gabriel. Camilo garante que a oportunidade é tão benéfica para o aluno quanto para os produtores rurais e empresários da indústria e serviços voltados ao agronegócio: "Conversei com a nova turma, que está iniciando as aulas, e tentei passar para os novos alunos o quanto eles podem aprender se eles se empenharem, se ajudarem uns aos outros e se tiverem atenção nas atividades. Eu tenho familiaridade com o meio rural e posso dizer que aprendi muito durante o curso, são conhecimentos diretamente aplicáveis na propriedade", diz o estudante que pretende concluir o ensino médio e estudar gestão voltada ao meio rural.

A disputa por uma das vagas se torna cada vez mais intensa, já que o programa representa uma clara oportunidade de ingresso no mercado de trabalho, com chance de acesso a vagas que exigem experiência prévia. Muitos dos participantes são efetivados nas próprias empresas participantes e já recebem o certificado de conclusão junto à notícia da efetivação. Por isso, o SENAR-RS vem aplicando uma prova seletiva, para apoiar os empresários na escolha dos candidatos.

O Programa Jovem Aprendiz do SENAR-RS já formou mais de 6 mil jovens, facilitando o ingresso destes no mercado de trabalho. Destinado a jovens de 14 a 24 anos, tem duração de um ano e contempla cerca de 800 horas de aprendizagem. Gestão Rural, pecuária de corte, silvicultura e fruticultura estão entre os enfoques mais demandados, que anualmente forma aproximadamente 600 jovens como Camilo. 


Veja também