Paraná

07/11/2019

Distribuidora paga mais para produtores com curso do Senar/PR

Por: Comunicação Social - Sistema FAEP/SENAR-PR

O morango é uma das principais culturas em São José dos Pinhais, na Região Metropolitana de Curitiba (RMC), que ocupa a segunda posição no ranking paranaense de produção do fruto, de acordo com dados de 2018 da Secretaria Estadual de Agricultura e Abastecimento (Seab). Isso muito em função do constante aperfeiçoamentos dos produtores e da capacidade de agregar mais valor ao produto.

Tal iniciativa, inclusive, veio da própria indústria, que sentiu a necessidade de atender a demanda dos consumidores, não apenas por um morango de qualidade, mas também mais sustentável. O empresário Fernando Kapuziniak, proprietário da distribuidora Bem Mais Alimentos, em São José dos Pinhais, comercializa cerca de 15 toneladas de morango congelado por mês no verão. Em 2015, entrou em contato com a Secretaria de Agricultura do município para mobilizar a capacitação dos produtores de quem comprava a fruta.

“A qualidade do morango não estava do jeito ideal. Eu acreditava que tínhamos capacidade para algo muito melhor. Por isso, fui atrás de uma solução para qualificar esses produtores”, conta Kapuziniak. Com auxílio da Secretaria de Agricultura e do Sindicato Rural de São José dos Pinhais, o curso “Boas Práticas Agrícolas (BPA)”, do SENAR-PR, passou a ser oferecido aos produtores de morango.

A partir da inciativa, cerca de 120 produtores do município e região já passaram pela capacitação desde 2015. Como incentivo, Kapuziniak oferece um pagamento maior pelo morango certificado em BPA. “O curso do SENAR-PR tem todo o passo a passo, incluindo manejo, uso correto de agroquímicos, primeiros socorros, toda a documentação necessária. É bem completo”, afirma o proprietário da distribuidora. “Eu ofereço essa bonificação para que os produtores se qualifiquem. Ainda compramos de produtores sem certificação por conta da demanda atual. Mas o objetivo é não comprar o morango de quem não tem a qualificação. A preferência é sempre pelo produtor que tem o curso”, acrescenta.

Mais qualidade e valor agregado

Os produtores Goreti da Cruz Ivankio e Cleudinei Salvador, proprietários da Quinta do Sabor, participaram da primeira turma do curso, realizado, inclusive, na propriedade do casal. “A qualidade do produto muda fazendo o manejo adequado, desde a produção até a entrega do morango. O valor agregado também melhorou muito”, conta Salvador, que trabalha ao lado da esposa com produção de morangos desde 2012. “A qualificação é muito importante porque concorremos com os morangos que vêm de São Paulo, Minas Gerais e do Norte do Paraná. É algo que valoriza a produção local também”, complementa o produtor.

A partir do primeiro curso de BPA, o casal abriu as portas da propriedade para outras turmas, auxiliando na mobilização dos produtores de morango da região. “O Fernando deu o pontapé inicial para nós em 2015, aí abrimos o espaço e formamos bastante gente aqui”, afirma Goreti. A produtora também fez outras capacitações pelo SENAR-PR, como fabricação de compotas e geleias. “Nosso foco maior é o morango in natura e congelado, mas buscamos o diferencial para agregar valor ao produto. Mudou muita coisa para gente”, complementa.

Além da melhoria da qualidade do morango, os resultados do curso impactaram os negócios do casal em diversos aspectos. Os produtores investiram na infraestrutura da propriedade, adequando o espaço para manipulação dos morangos conforme os ensinamentos do curso e adquirindo novos e mais modernos equipamentos. Ainda, estão na reta final da construção de uma estufa em sistema semi-hidropônico para cerca de 40 mil pés de morango.

Atualmente, o casal vende cerca de 4 toneladas de morango por mês no verão. O objetivo é expandir os negócios e continuar investindo em qualidade para manter a referência do produto. “Hoje, a nossa produção já está bem avançada comparado ao início. Mas queremos automatizar ainda mais os processos para aumentar a produção”, compartilha Goreti.

Rede de qualificação

A iniciativa de Fernando Kapuziniak também despertou o interesse de outros produtores pela capacitação em BPA, além daqueles que vendem o morango para a distribuidora. Muitos associados da Coop Hort São José, cooperativa de produtores de hortifrutigranjeiros, cuja sede fica no Sindicato Rural de São José dos Pinhais, acabaram participando do curso “Boas Práticas Agrícolas” do SENAR-PR.

“Foi um avanço muito interessante. A Coop Hort aproveitou da oportunidade e também incentivou essa capacitação. Podemos dizer que tudo começou por causa da iniciativa do Fernando. Ele é um grande parceiro nosso”, afirma o presidente do Sindicato Rural de São José dos Pinhais, Paulo da Nova.

“Nós temos a proposta de oferecer um produto com padrão diferenciado, com qualidade. Então os produtores perceberam a importância de se qualificar nesse sentido. Além disso, também vi interessados que não fornecem nem para a cooperativa, nem para o Fernando, e mesmo assim se capacitaram”, afirma o presidente da Coop Hort, Rogério Negoseki. “O produtor está vendo que, sem capacitação, sem melhorar o produto e adotar as boas práticas, vai ficar de fora do mercado”, complementa. Atualmente, cerca de 60 associados na cooperativa são qualificados em BPA pelo SENAR-PR. “Nós abrimos um bom canal de comercialização dos produtores. Todo aquele morango que seria para o descarte é aproveitado, higienizado, congelado e vendido. Isso também teve como consequência a melhoria da infraestrutura dos produtores. É um projeto que é uma satisfação muito grande”, ressalta Nova.

Veja também