03/05/2016

Alunos do Curso Técnico em Agronegócio conhecem sistema de produção da Aurora

Para conhecer o processo de industrialização do setor primário da economia  catarinense, os alunos do Curso Técnico em Agronegócio do SENAR do polo de Seara visitaram o Frigorífico Aurora Chapecó I (FACH I), em Chapecó. A proposta teve como objetivo levar aos futuros profissionais uma ampla ideia de como é o processo do agronegócio.

Os 37 alunos, acompanhados do presidente do Sindicato Rural de Seara Valdemar Zanluchi,  do tutor do curso e engenheiro agrônomo Renato Tumelero e do instrutor Lorival Zanluchi conheceram alguns setores da unidade, bem como os procedimentos adotados na industrialização dos produtos.

A primeira visita técnica faz parte da programação da disciplina de introdução ao agronegócio. “Na aula teórica foi demonstrado o caráter das relações entre os setores do agronegócio, mas faltava visualizar a prática. Por isso, a visita na Aurora que abrange vários setores, a exemplo de insumos, produção, agroindústria, comércio, assistência técnica e apoio ao produtor”, explicou Tumelero.

Para o vice-presidente da Cooperativa Central Aurora Alimentos, Neivor Canton, receber filhos de produtores associados é uma satisfação e ao mesmo tempo um dever em mostrar os negócios da cooperativa, pois enaltece a continuidade das atividades no campo e valoriza os empresários rurais. “Recebemos visitas técnicas regularmente e mostramos a realidade para auxiliá-los em suas escolhas profissionais”, argumentou.

Alunos do Curso Técnico em Agronegócio do polo de Seara.

Canton também apresentou os números do agronegócio, os preços do mercado, a carga de custos da indústria, como a Aurora e as cooperativas trabalham e a importância do trabalho no campo que reflete na indústria. “Temos interesse em servir os produtores, pois os associados são muito bem-vindos, principalmente por serem os donos do negócio”, realçou.

O empresário rural de Seara, Fábio Meirelles, achou interessante a visita na Unidade da Aurora, principalmente, os aspectos de qualidade com que a empresa trabalha nos produtos e a preocupação com o bem-estar nos funcionários. “A estrutura do frigorífico demonstra o planejamento e antecipa projetos e possibilidades de ampliação”, ressaltou.

Meirelles tem uma propriedade com 20 hectares, na qual trabalham três pessoas. A atividade principal é o gado leiteiro e a secundária a produção de cachaça artesanal. “A intenção com o curso é melhorar a gestão da empresa rural”, complementou.

CURSO

O curso é promovido pela Rede e-Tec Brasil no SENAR e proporciona a habilitação, com validade nacional, de técnico nível médio em agronegócio pela modalidade de ensino a distância com carga horária total de 1.230 horas e duração de quatro semestre ou dois anos. As aulas práticas são ministradas em propriedades e agroindústrias parceiras na região.

Na modalidade semipresencial, o Curso Técnico em Agronegócio disponibiliza 80% das suas aulas via web. O restante da carga horária é reservado as aulas presenciais nos polos de apoio e visitas técnicas as propriedades rurais e agroindústrias, para que os alunos possam colocar em prática os novos conhecimentos. 

Assessoria de Comunicação do SENAR-SC
www.senar.com.br

Veja também