Estudo sobre criminalidade no campo

Por: Instituto CNA

A Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), por meio do Instituto CNA, acompanha o aumento da criminalidade no meio rural. Embora a criminalidade nas cidades monopolize a atenção da mídia e da sociedade, o crime – em especial o furto e o roubo à mão armada – vem crescendo nas propriedades rurais nos últimos anos, mantendo em risco constante os bens e a segurança pessoal dos produtores e de suas famílias.

O Setor Agropecuário responde pelos índices positivos da economia brasileira. Em 2017, o produto interno bruto (PIB) do agronegócio respondeu por 21,6% de todo o PIB nacional, e 32,3% de todos os trabalhadores brasileiros estão vinculados ao agronegócio. Quanto às exportações, de janeiro a março de 2018, o agronegócio foi responsável por 36% do valor total das exportações brasileiras. Apesar desses números significativos, o principal setor da economia brasileira se vê ameaçado pela insegurança e pela violência que estão no campo.

A falta de informações sobre a criminalidade no campo não condiz com a importância do setor. Não se pode pensar em políticas públicas sem um diagnóstico fiel do problema a que se pretende corrigir.

Diante disso, é necessário conhecer e propor ações e medidas preventivas que possam ser adotadas pelos produtores rurais e pelas autoridades de Segurança Pública nos níveis nacional, estadual e municipal, assegurando ao homem do campo e à sua família condições plenas de trabalho. 

Veja o documento na íntegra:

Veja também