Impactos do coronavírus no setor sucroenergético brasileiro

Por: CNA em parceria com o SENAR e o Pecege/USP

Este documento procura avaliar os impactos da pandemia do novo coronavírus (SARS-CoV-2) sobre o setor sucroenergético brasileiro, com ênfase nos efeitos dessa crise sobre os produtores de cana-de-açúcar independentes em termos de remuneração, custo dos insumos e despesas financeiras.
Para atingir o objetivo proposto, realiza-se uma exposição inicial sobre a situação dos mercados de açúcar e etanol, passando, em seguida, aos efeitos sobre os fornecedores de cana-de-açúcar.

EFEITOS NA RECEITA DO FORNECEDOR DE CANA-DE-AÇÚCAR 

A partir de fevereiro de 2020, com a disseminação global do coronavírus, gerou-se a percepção de que a demanda por energia se reduziria, levando à necessidade de ajustes na produção de petróleo por parte do grupo denominado OPEP+, formado pelos membros da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (OPEP) e outros associados, com destaque para a Rússia. O acordo, porém, não se concretizou, levando a uma guerra de preços entre Rússia e Arábia Saudita, o que, somada à forte redução da demanda por conta das quarentenas epidemiológicas, derrubou o preço do óleo bruto no mercado internacional.

Áreas de atuação

Cana-de-açúcar

Veja também