IPCA sobe 0,83% e tem maior taxa para maio em 25 anos

Por: Diretoria Técnica da CNA

A inflação medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) registrou alta de 0,83% em maio de 2021, conforme divulgado no dia 09 de junho pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Essa é a maior taxa para o mês desde 1996, quando o índice foi de 1,22%. Em maio de 2020, o IPCA registrou queda de 0,38%.

A principal contribuição para a alta do IPCA, em maio, veio da energia elétrica, que subiu 5,37%. Desde o início do ano, a Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL) vem aprovando os reajustes tarifários para as concessionárias, que já alcançam algumas unidades da federação. Os últimos, aprovados no fim de abril, foram para os estados de São Paulo, Mato Grosso e Mato Grosso do Sul. Adicionalmente, a crise hídrica tem provocado pressão adicional nos preços da energia. Segundo a ANEEL, abril marcou o fim do período de transição entre as estações úmida e seca nas principais bacias hidrográficas do Sistema Interligado Nacional (SIN). O balanço hidrológico do período úmido 2020-2021 resultou no pior aporte hidráulico da história do SIN, medido desde 1931. Com isso, em maio passou a valer a bandeira tarifária vermelha patamar 1, o que significa um custo adicional de R$ 4,169 para cada 100kWh consumidos. Entre janeiro e abril vigorou a bandeira tarifária amarela.

Áreas de atuação

Núcleo Econômico

Veja também