Com crescimento modesto, PIB da Agropecuária apresenta alta de 0,1% em 2018

Por: Superintendência Técnica

1. Indicadores do PIB

O Produto Interno Bruto (PIB) de 2018, divulgado hoje pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), cresceu 1,1% na comparação com 2017 e somou R$ 6,8 trilhões. Dessa forma, o resultado anual ficou no piso das expectativas coletadas por 48 instituições consultadas pelo Projeções Broadcast, que previam crescimento entre 1,1% e 1,35%, com mediana de 1,2%. O resultado do último trimestre de 2018, comparado ao trimestre anterior apresenta um crescimento modesto de 0,1%.

Em 2018, o setor agropecuário brasileiro apresentou crescimento de 0,1% quando comparado com o ano anterior. Os demais setores da economia também apresentaram crescimento, 0,6% para a Indústria e 1,3% de alta no setor de Serviços. O destaque positivo na Indústria foi o desempenho da atividade Eletricidade e gás, água, esgoto, atividades de gestão de resíduos, que cresceu 2,3% em relação a 2017. Todas as atividades que compõem os Serviços apresentaram variação positiva. Atividades imobiliárias avançou 3,1%, seguida por Comércio (2,3%), Transporte, armazenagem e correio (2,2%), Outras atividades de serviços (1,0%), Atividades financeiras, de seguros e serviços relacionados (0,4%), Informação e comunicação (0,3%) e Administração, defesa, saúde e educação públicas e seguridade social (0,2%).

Entre os componentes da demanda interna, houve avanço do Consumo das Famílias (1,9%) e Consumo do Governo se manteve estável (0,0%). Destaque para a alta de 4,1% da Formação Bruta do Capital Fixo (FBCF), primeiro resultado positivo após uma sequência de 4 anos em queda. A alta da FBCF demonstra um aumento dos investimentos na economia, e uma tentativa de retomar o crescimento do país. A taxa de investimento (FBCF/PIB) apresentou alta de 15,8% em 2018.

No setor externo, as Exportações de Bens e Serviços cresceram 4,1%, enquanto as Importações de Bens e Serviços avançaram 8,5%.

Gráfico 1 – PIB e subsetores 2018 (Taxa acumulada em quatro trimestres em relação ao mesmo período do ano anterior)

2. PIB – Agropecuário

Em 2018, o setor agropecuário brasileiro apresentou crescimento de 0,1% quando comparado com o ano anterior. Essa ligeira alta foi decorrente, principalmente, do desempenho da produção café (29,4%), algodão (28,4%), trigo (25,1%) e soja (2,5%) produtos que correspondem a 36% do faturamento agropecuário e sustentaram o desempenho do setor. Por outro lado, a queda de produtividade em lavouras como a do milho (-18,3%), laranja (-10,7%), arroz (-5,8%) e cana (-2,0%), produtos que representam 20% do faturamento, puxaram o resultado do setor para baixo.

O desempenho da produção da pecuária bovina (+3,7%) também contribuiu para o crescimento do PIB agropecuário. A pecuária de corte corresponde a 47,3% do faturamento - valor bruto da produção (VBP) - no segmento pecuário, e 16,3% da agropecuária.

A alta de 0,1% demonstra que o setor agropecuário se mantém crescendo. É importante ressaltar que a base de comparação desse resultado é 2017, ano em que o setor apresentou crescimento de 12,5%, a maior variação anual da série. No ano passado, o PIB da agropecuária foi o grande responsável pela expansão da economia, puxado principalmente pela safra recorde de grãos (produção de 238 milhões de toneladas). Em 2018, a safra de grãos apresentou resultado um pouco inferior, 227 milhões de toneladas produzidas.

Observando a série histórica, iniciada em 1996, o resultado anual do PIB da agropecuária é majoritariamente positivo, sendo as exceções os anos de 2009, 2012 e 2016 (-3,7%, -3,1% e -5,2%, respectivamente), anos impactados por efeitos climáticos que comprometeram a produtividade no campo.

Gráfico 2 – PIB Agropecuário – taxa acumulada em quatro trimestres (%)

3. Considerações

Os resultados apresentados hoje demonstram que o setor agropecuário se mantém crescendo, com variação positiva de 0,1% do PIB da agropecuário em 2018. É importante ressaltar que a base de comparação é o ano de 2017, quando o setor apresentou crescimento de 12,5%, a maior taxa de crescimento anual da série.

O resultado de 1,1% do PIB em 2018 repete o crescimento de 2017. Por um lado, retrata a lenta recuperação da economia que vem testando a ansiedade dos empresários; por outro, demonstra a resiliência em um ano marcado pela paralisação dos caminhoneiros no final de maio, e o posterior tabelamento de fretes que elevou custos para todos os setores da economia, mas ainda assim, resultou em um leve crescimento da economia brasileira em 2018.

Áreas de atuação

Assuntos Econômicos

Veja também