Forrageiras para o semiárido

Por: João Martins da Silva Junior*

Já se passaram seis anos desde o início da forte estiagem que ainda atinge a região Nordeste. E esse longo período de seca vem provocando prejuízos sociais e econômicos incalculáveis, sendo considerada a pior estiagem dos últimos 100 anos.

Não obstante, o Nordeste é viável, competitivo e, acima de tudo, sustentável, mesmo com as incertezas climáticas. Para minimizar esta característica, é preciso que, tanto na elaboração de políticas públicas como na atuação privada nessa região, considere-se que a seca virá e sempre se repetirá. Resta buscar alternativas de melhor convivência.

Neste sentido, o Sistema CNA - entidade máxima de representação dos produtores rurais brasileiros - em parceria com a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), está implantando o Projeto Forrageiras para o Semiárido em 10 Estados da região. O objetivo do projeto é conjugar esforços para pesquisar forrageiras tropicais tolerantes à seca e seu uso racional.

Este projeto foi concebido a partir de uma visita in loco à Embrapa Gado de Corte, em Campo Grande, no Mato Grosso do Sul, quando tivemos a oportunidade de constatar a existência de grande quantidade de material forrageiro que está sendo pesquisado naquela unidade de Embrapa. Percebeu-se a necessidade de levar variedades ou cultivares de forrageira tolerantes ou mesmo resistentes à seca, para serem testadas nas condições climáticas do semiárido brasileiro.

Trata-se de uma iniciativa desafiadora, em que o Sistema CNA, Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (SENAR) e Instituto CNA aportarão recursos técnicos, humanos e financeiros em um projeto de campo experimental, com o respaldo técnico da Embrapa, para selecionar variedades de capins perenes, capins anuais, leguminosas e cactáceas que melhor se adaptem às condições climáticas de cada Estado inserido no semiárido. Os experimentos também indicarão o melhor manejo para cada variedade selecionada.

Serão implantadas 12 Unidades de Referência Tecnológica (URT), contemplando todos os Estados da região Nordeste, além do norte de Minas Gerais. Assim, com o Projeto Forrageiras para o Semiárido, vamos contribuir para que os produtores rurais que desenvolvem suas atividades nessa região tenham alternativas não apenas para conviver com a seca, mas para que esta convivência seja produtiva e sustentável.

*João Martins da Silva Junior é Presidente da Federação da Agricultura e Pecuária do Estado da Bahia (Faeb) e da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA)

Artigo publicado no Jornal O Povo 

Áreas de atuação

Região Nordeste

Veja também