Central de Comunicação // CNA

17/04/2018

CNA lança manuais voltados para a sanidade aquícola

Brasília (17/04/2018) – A Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) lançou o guia de doenças de animais aquáticos e o manual de biosseguridade voltados para a sanidade aquícola, nesta terça (17), durante a reunião da Comissão Nacional de Aquicultura, em Brasília. 

O Manual de identificação no campo possibilita o reconhecimento das principais doenças da aquicultura brasileira. Já o manual técnico de biosseguridade apresenta medidas de prevenção e respostas emergenciais que os produtores precisam tomar caso aconteça algum tipo de doença. Para ler os manuais, acesse:

http://www.cnabrasil.org.br/cartilhas-cna-de-sanidade-aquicola

De acordo com o presidente da Comissão Nacional e Aquicultura, Eduardo Ono, a iniciativa da CNA vai disseminar informações relevantes para o setor produtivo com o foco nas doenças de grande abrangência. 

“Esses manuais vão contribuir para aumentar a competitividade e a segurança do setor aquícola brasileiro. O conteúdo tem linguagem acessível tanto para os técnicos como para os produtores facilitando a disseminação da informação”, afirmou Eduardo Ono. 

O presidente da Comissão adiantou que estão sendo elaborados outros materiais em parceria com o Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar) para transferir conhecimento mais detalhados aos aquicultores.  

As publicações foram elaboradas após a recomendação da Organização Mundial de Saúde Animal (OIE). Em 2015, o Brasil foi submetido a uma avaliação externa por especialistas indicados pela entidade. Depois disso, foi identificada a necessidade de maior envolvimento do setor produtivo em programas de sanidade aquícola.

O Coordenador de Sanidade de Animais Aquáticos do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Eduardo de Azevedo, destacou a integração entre o serviço público e a iniciativa privada.  “A publicação desses guias é o início de um processo longo e perene para conseguirmos impulsionar o setor de aquicultura tendo a sanidade como base para isso”, observou. 

Para o técnico da Assistência Técnica e gerencial do Senar do Distrito Federal, Francisco Baia, os guias ilustrados vão ajudar em seu trabalho no campo. “Esse é mais um instrumento para os aquicultores observarem a qualidade do produto que chegam à mesa do consumidor, priorizando a qualidade e segurança alimentar”, observou. 

A Comissão Nacional de Aquicultura também abordou a conjuntura do mercado de soja e milho e realizou um balanço do workshop nacional de Licenciamento Ambiental. 

O analista de mercado, Thomé Guth, da Companhia Nacional de Abastecimento, apresentou o comportamento dos preços da soja e milho, principais insumos utilizados para a produção de ração.  “Os altos preços impactam no custo de produção tanto da ração quanto da própria piscicultura. Isso se torna um fator complicador da rentabilidade do produtor”. 

Segundo Guth, a quebra da safra da Argentina, a situação da política do Brasil e expectativa de taxação da China sobre a soja norte-americana influenciam na volatilidade desses preços. 

Assessoria de Comunicação CNA/SENAR
Fotos: Tony Oliveira
Telefone: (61) 2109 1419
cnabrasil.org.br 
senar.org.br
twitter.com/SENARBrasil
facebook.com/SENARBrasil
twitter.com/SistemaCNA
facebook.com/SistemaCNA
instagram.com/SistemaCNA

Veja também