Formulário de seleção de cidade

Central de comunicação // Comissões nacionais da CNA

Relações Internacionais

Últimas notícias



Artigos


Vídeos


Conteúdo Especial: Relações Internacionais

Acesse Conteúdos especiais gratuitos!

Cadastre-se para ter acesso ilimitado ao conteúdo e receba as novidades do setor

Formulário de cadastro de emails

Boletins

Relatórios

Informativo Especial 01 Relações Internacionais

Barreiras Comerciais: Os Picos Tarifários Japoneses e o Agronegócio Brasileiro

Para acessar esse grande mercado, os produtos brasileiros precisam passar pela alfândega japonesa, pagando elevadas tarifas de importação. O Brasil, por ser um país em desenvolvimento, ainda tem acesso a um tipo especial de tarifa japonesa: o Sistema Geral de Preferências (SGP). Por meio dele, o Japão beneficia o exportador brasileiro com tarifas mais baixas para determinados produtos.

Superintendência de Relações Internacionais

A expansão da produção agropecuária para exportação, com a diversificação da pauta exportadora e agregação de valor em relação aos produtos primários, torna-se um dos principais motores de crescimento da economia brasileira.

A Superintendência de Relações Internacionais da CNA desenvolve ações para fortalecer a projeção internacional do agronegócio brasileiro e ampliar o acesso a mercados. A atuação é baseada em três pilares: Inteligência Comercial, Acesso a Mercados e Políticas Públicas e Organizações Internacionais.

A área de Inteligência Comercial da Superintendência de Relações Internacionais da CNA prepara análises e estudos de estatísticas e conjuntura de comércio exterior, impactos de acordos de integração regional e de livre comércio, tendências de consumo, ambiente competitivo e oportunidades de negócios em mercados importadores de produtos agrícolas brasileiros. É a área responsável pelo Boletim do Agronegócio Internacional.

A área de Acesso a Mercados monitora os entraves ao comércio agrícola brasileiro, identificando as barreiras tarifárias e técnicas e as legislações nos países importadores, que podem afetar as exportações brasileiras. Acompanha, também, as negociações de acordos comerciais internacionais, acordos sanitários e fitossanitários, contenciosos agrícolas e deliberações em fóruns bilaterais e multilaterais, como a Organização Mundial do Comércio (OMC), Organização Mundial de Saúde Animal (OIE), dentre outras, que envolvem assuntos de interesse do setor agropecuário brasileiro.

Já a área de Políticas Públicas e Organizações Internacionais monitora as políticas de países que concorrem com o Brasil e que podem influenciar no fluxo do comércio agrícola mundial, seus marcos regulatórios e as tendências em debate nas principais instâncias de discussão sobre como alimentar o mundo com produtividade e sustentabilidade.

A Superintendência também está responsável pela interlocução com os escritórios da CNA em Pequim e em Bruxelas, direcionando as atividades e colaborando com a atuação dos nossos representantes no exterior. Os escritórios são responsáveis pelos Informativos da China e da União Europeia. 

Relato das ações da Comissão

  • Coordena os trabalhos do Escritório de Representação da CNA em Pequim, China, e o Escritório de Representação da União Européia em Bruxelas, na Bélgica
  • Responsável pelas análises e estudos de estatísticas e conjuntura de comércio exterior, impactos de acordos de integração regional e de livre comércio
  • Acompanha as negociações de acordos comerciais internacionais, acordos sanitários e fitossanitários, contenciosos agrícolas e deliberações em fóruns bilaterais e multilaterais
Superintendente
Superintendente Lígia Dutra

cna@cna.org.br

Contatos

cna@cna.org.br / (61) 2109 - 1400